Meteorologia

  • 07 DEZEMBRO 2022
Tempo
13º
MIN 10º MÁX 15º

Agitação marítima sem grande impacto nas praias a sul da Figueira da Foz

A forte agitação marítima registada na madrugada de hoje nas praias da costa sul da Figueira da Foz não causaram problemas graves, disse fonte da Capitania do Porto.

Agitação marítima sem grande impacto nas praias a sul da Figueira da Foz
Notícias ao Minuto

10:41 - 24/11/22 por Lusa

País Capitania do Porto

"Houve alguma água do mar que atingiu zonas mais dentro, ao nível de estradas e orla costeira, mas nas habitações não temos relato de que tenha existido problemas de maior", disse aos jornalistas o capitão Cervaens Costa, no Cabedelo, uma das zonas críticas.

As previsões iniciais do estado do mar para a madrugada de hoje apontavam para uma situação de agitação marítima preocupante, conjugada com a maré-alta, que iria afetar as praias do Cabedelo, Cova-Gala, Leirosa e Costa de Lavos, vulneráveis e fragilizadas pela erosão costeira.

Segundo Miguel Figueira, do movimento SOS Cabedelo, o pico da agitação marítima não se conjugou com a maré-alta, como estava previsto, e a situação acabou por não ter a gravidade que se esperava.

Para a tarde está prevista novamente a maré-alta, mas o capitão do Porto da Figueira da Foz não perspetiva problemas de maior.

"O pico foi durante a madrugada, entre as 02:30 e as 03:00, quando a altura do mar estava superior, mas a partir de agora estamos a assistir a uma diminuição da altura da ondulação e do período também, pelo que a probabilidade de haver incidentes é menor", sublinhou.

Na zona do Cabedelo, onde os galgamentos são frequentes, os serviços municipais de Proteção Civil colocaram desde quarta-feira uma máquina de rastos na praia a erguer uma barreira de areia para travar a invasão do mar, que vai continuar a trabalhar ao longo do dia.

O problema da erosão costeira tem sido uma temática bastante discutida na Figueira da Foz, tendo-se realizado no dia 15 uma sessão de esclarecimento com a APA sobre as intervenções previstas para o concelho.

Relativamente à intervenção que já esteve agendada para maio, de transferência de 100 mil metros cúbicos de areia na área costeira da Cova-Gala, para reforço do cordão dunar, o vice-presidente da APA, Pimenta Machado, disse que a intervenção está iminente, embora a "janela de tempo para intervir é curta e difícil" devido às condições do mar.

Como estratégia de longo prazo, Pimenta Machado apresentou uma solução com recurso a um sistema fixo ('bypass'), "que nunca se fez em Portugal", previsto para 2030, com um custo estimado de 72,2 milhões.

O SOS Cabedelo tem defendido a construção de um 'bypass', que faça transferências contínuas de areia "para que a praia esteja bem nutrida e a dissipação de energias [do mar] se faça muito antes do mar atacar a duna primária".

Leia Também: Emitido aviso de agitação marítima forte para a Madeira até sexta-feira

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório