Meteorologia

  • 30 NOVEMBRO 2022
Tempo
MIN 7º MÁX 14º

Emitido mandado de detenção para Vale e Azevedo. Defesa vai recorrer

Desde 2019 que a justiça tenta notificar o antigo presidente do Benfica, sem sucesso.

Emitido mandado de detenção para Vale e Azevedo. Defesa vai recorrer
Notícias ao Minuto

22:22 - 23/09/22 por Notícias ao Minuto

País Vale e Azevedo

O Tribunal de Lisboa considerou, esta sexta-feira, que o antigo presidente do Benfica, João Vale e Azevedo, recusa-se deliberadamente a comparecer perante a justiça, tendo emitido, por isso, um mandado de detenção, avança a CNN Portugal.

"A presente declaração de contumácia implica para o arguido a anulabilidade dos negócios jurídicos de natureza patrimonial celebrados após esta data e a proibição de obter certidões e registos junto das autoridades públicas, bilhete de identidade, carta de condução, passaporte cartão de contribuinte, cartão de eleitor e respetivas validações", lê-se no documento a que a agência Lusa teve acesso.

Findo o prazo de 30 dias estabelecido pelo Tribunal de Lisboa para que Vale e Azevedo se apresentasse em tribunal, a instituição terá declarado o arguido fugido à justiça, pelo que poderá ser julgado à revelia, ou seja, sem a sua presença em tribunal.

"Como é evidente, vem agora o arguido, de forma enviesada, tentar lograr aquilo que não conseguiu alcançar por via de recurso, procurando entorpecer a marcha processual, numa clara distorção dos princípios e institutos que regem o processo penal", considera o coletivo de juízes.

Para a justiça, a atuação do antigo presidente do Benfica raia até a "má-fé processual", quando a sua posição, "ao longo de todo o processo (e há mais de três anos), tem sido precisamente contrária, apesar de todas diligências".

Vale e Azevedo, que vive em Londres desde 2018, é acusado de apresentar três milhões de euros de garantias falsas em processos judiciais, além de tentativa de burla ao BCP, para obter um crédito de 25 milhões de euros. Desde 2019 que a justiça tenta notificar o antigo presidente do Benfica, sem sucesso.

A advogada do ex-presidente do Benfica já assegurou que vão recorrer do mandado de detenção emitido pelo Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa. "Esta declaração de contumácia não tem sentido nenhum e nós iremos interpor recurso da declaração de contumácia, evidentemente", afirmou à agência Lusa.

Luísa Cruz, advogada defesa, considerou, em abril deste ano, que a possibilidade da emissão de um mandado de detenção internacional ou da formulação de um novo pedido de extradição teria de ser devidamente fundamentado, além de ter de ser apreciado pelas autoridades britânicas, que anteriormente já negaram o pedido de ampliação da extradição.

[Notícia atualizada às 23h46]

Leia Também: Defesa de Vale e Azevedo alega que processo para julgamento já prescreveu

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório