Meteorologia

  • 06 OUTUBRO 2022
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 30º

Três detidos na Guarda por violência doméstica nos últimos quatro dias

Homens com idades entre os 43 e os 66 anos.

Três detidos na Guarda por violência doméstica nos últimos quatro dias
Notícias ao Minuto

23:17 - 09/08/22 por Notícias ao Minuto

País Violência doméstica

O Comando Territorial da Guarda da Guarda Nacional Republicana (GNR) deteve, entre os dias 5 e 8 agosto, três homens com idades entre os 43 e os 66 anos suspeitos da prática do crime de violência doméstica em três situações distintas, nos concelhos de Seia e de Vila Nova Foz Côa.

Segundo informa um comunicado a que o Notícias ao Minuto teve acesso, no primeiro dos casos os militares da GNR apuraram que o suspeito, de 43 anos, infligiu  maus-tratos psicológicos e físicos contra a vítima, uma mulher de 39 anos. "Perante a gravidade dos factos e a escalada das ameaças, foi dado cumprimento a um mandado de detenção", pode ler-se na nota.

No segundo caso, determinou-se que o agressor de 66 anos exercia violência física e psicológica sobre a companheira, de 63 anos. No seguimento de um inquérito, viria também a ser dado cumprimento a um mandado de detenção.

A terceira detenção deu-se na sequência de uma denúncia, tendo a GNR ido, "de imediato", até ao local - onde concluiu que o suspeito de 56 anos infligia maus-tratos à vítima, uma mulher de 57 anos. Foi, nesse momento, dado cumprimento a um mandado de detenção fora de flagrante delito.

O primeiro e o terceiro dos suspeitos descritos foram presentes a primeiro interrogatório no Tribunal Judicial de Vila Nova de Foz Côa. Estão agora sujeitos à medida de coação de proibição de contacto com as vítimas "por qualquer forma ou meio" - bem como de afastamento das mesmas (não podendo aproximar-se num raio de 300 metros) com recurso a pulseira eletrónica.

O suspeito de 66 anos, após ter sido presente ao Tribunal Judicial de Seia, ficou sujeito a medidas de coação semelhantes, ainda que deva manter-se sempre a um raio superior a 500 metros da vítima. Está ainda obrigado ao tratamento à dependência do álcool.

Por ser um crime público, a GNR apela, no mesmo comunicado, que caso precise de ajuda ou tenha conhecimento de alguma situação de violência doméstica, que comunique a situação nos canais específicos para o efeito.

Leia Também: Polícia que matou Leandro Lo criou projeto contra violência doméstica

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório