Meteorologia

  • 26 MAIO 2022
Tempo
29º
MIN 17º MÁX 32º

Conselho de Administração do São João apresenta demissão após incêndio

Conselho de Administração do Hospital de São João apresentou esta segunda-feira o pedido de demissão, na sequência do incêndio que vitimou uma pessoa e feriu quatro com gravidade.

Conselho de Administração do São João apresenta demissão após incêndio
Notícias ao Minuto

17:10 - 20/12/21 por Melissa Lopes

País São João

O Conselho de Administração do Hospital de São João, no Porto, apresentou a demissão à ministra da Saúde, na sequência do incêndio no serviço de Pneumologia que causou a morte a um doente e feriu com gravidade outros quatro. Numa declaração feita na tarde desta segunda-feira, o presidente do Conselho de Administração, Fernando Manuel Ferreira Araújo, justificou a decisão com um "sentido ético" que não pode nem deve ser esquecido.

"Apesar de as causas do incêndio estarem a ser apuradas, nomeadamente através de um processo de averiguações interno, de um processo de inquérito da IGAS e de um inquérito da PJ - com quem estamos ativamente a cooperar -, e de a avaliação inicial excluir falha infraestrutural do hospital, existe um sentido ético que não podemos nem devemos esquecer. (...) O Conselho de Administração apresentou hoje à ministra da Saúde o pedido de demissão", anunciou Fernando Manuel Ferreira Araújo, presidente do Conselho de Administração.

O Conselho de Administração do Hospital do São João vai permanecer em funções até à decisão da ministra da Saúde, adiantou ainda o responsável. 

Na declaração feita hoje aos jornalistas, Fernando Manuel Ferreira Araújo lamentou a morte do doente e apresentou as condolências à família. Os quatro feridos encontram-se em estado grave e os cinco profissionais que receberam assistência tiveram todos alta durante a noite.

"O hospital prestou, durante todo o processo, informação e apoio psicológico aos doentes e às famílias. O plano de incêndio do hospital e o plano de emergência interno, foram prontamente ativados, possibilitando a evacuação de emergência, bem como o combate ao incêndio", afirmou o responsável, realçando a "forma profissional e altruísta" como os profissionais reagiram, bem como as corporações de bombeiros, pela "eficácia no combate a um incêndio difícil e numa zona altamente sensível do hospital". 

Numa nota publicada durante a tarde de hoje, a ministra da Saúde lamentou "profundamente a morte registada" e endereçou "sentidas condolências aos familiares da vítima", desejando uma "rápida recuperação" de todos os feridos.

De sublinhar que na origem do incêndio, que deflagrou pelas 17h40 e foi dado como extinto cerca das 19h,  terá estado um cigarro acendido por um paciente que estava a receber oxigénio. Na declaração feita hoje, sem direito a perguntas dos jornalistas, o Conselho de Administração não mencionou esta possibilidade. 

Leia Também: Cigarro terá estado na origem de fogo que fez um morto no S. João

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório