Meteorologia

  • 18 JANEIRO 2022
Tempo
MIN 5º MÁX 14º

Edição

"A Câmara está aqui para ajudar, não somos nós que definimos as vacinas"

Presidente da Câmara de Lisboa recusa críticas ao novo centro de vacinação, que entra em funcionamento esta quarta-feira na FIL, e garante que a mudança de espaço não foi decisão da autarquia.

"A Câmara está aqui para ajudar, não somos nós que definimos as vacinas"

O presidente da Câmara de Lisboa, Carlos Moedas, afirmou hoje, na inauguração do "maior centro de vacinação do país", no Parque das Nações, que este centro representará uma "grande mudança em relação àquilo que tínhamos em Lisboa".

Carlos Moedas respondeu às críticas de políticos e presidentes de junta sobre o encerramento de outros centros e a concentração da vacinação em Lisboa ali e na Ajuda, dizendo que não foi a Câmara a decidir mudar de espaço.

O autarca explicou aos jornalistas que os locais onde funcionavam até então os outros centros são agora precisos por aquelas entidades, como a Universidade de Lisboa e o Centro Hindu, e "já não estão disponíveis".

"Não era uma questão de querermos mudar", afirmou. "A Câmara Municipal está aqui para ajudar, não somos nós que definimos as vacinas no país, não somos o Serviço Nacional de Saúde."

E, em resposta ao Bloco de Esquerda de Lisboa, que exigiu hoje a "reversão imediata do encerramento dos centros de vacinação contra a Covid-19" da cidade, garantiu que "o custo de termos apenas um local é menor do que o custo de termos muitos".

"Onde é que o Bloco de Esquerda iria encontrar esse espaço?", questionou o autarca.

Moedas respondeu também à questão da falta de uma rede de transportes junto ao novo centro, localizado na Feira Internacional de Lisboa (FIL), no Parque das Nações, sublinhando que há 300 lugares de estacionamento grátis e assegurando que a Câmara tem soluções para aqueles que precisem de se deslocar de táxi até ao centro de vacinação.

No caso dos mais idosos, que não possam sair de casa de todo, lembrou que há "uma rota em Lisboa onde os enfermeiros vão a casa das pessoas vacinar quem não pode sair de casa".

O presidente da Câmara de Lisboa lembrou ainda que o novo centro de vacinação da cidade vai permitir duplicar o número de utentes atendidos por dia "num conforto completamente diferente daquele que era o existente".

"Vacinar no verão é muito diferente de vacinar no inverno", insistiu. "Vem aí o inverno e a solução tem de permitir às pessoas estarem em conforto à espera."

O novo centro de vacinação do Parque das Nações, que será inaugurado na quarta-feira, vai funcionar no Pavilhão 4 da FIL, com 60 postos e uma capacidade para realizar até 9.000 inoculações contra a Covid-19 ou gripe por dia, indicou a autarquia.

Leia Também: BE critica concentração da vacinação em Lisboa num grande centro

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório