Meteorologia

  • 25 MAIO 2022
Tempo
25º
MIN 14º MÁX 26º

Buscas? “Somos contribuinte líquido para a segurança internacional”

O ministro dos Negócios Estrangeiros comentou a notícia do dia: as buscas da Polícia Judiciária por suspeitas de tráfico de pedras preciosas que envolvem a elite do Exército.

Buscas? “Somos contribuinte líquido para a segurança internacional”
Notícias ao Minuto

10:39 - 08/11/21 por Daniela Filipe com Lusa

Política Augusto Santos Silva

Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros, avançou aos jornalistas que “a imagem internacional de Portugal muito beneficia do facto de que somos, como gostamos de dizer, um contribuinte líquido para a segurança internacional”, como reação ao mais recente caso que envolve as Forças Armadas: suspeitas de tráfico de pedras preciosas.

O papel desempenhado pelos militares portugueses nas missões de paz das Nações Unidas, NATO e da União Europeia é “unanimemente reconhecido”, destacou o ministro, acrescentando que, na sua experiência enquanto ministro da Defesa e, agora, como ministro dos Negócios Estrangeiros, não ouve outra coisa “de nenhum interlocutor internacional que fale sobre as forças portuguesas destacadas em missões de paz internacionais senão pedir que continuemos e que reforcemos a nossa presença”.

"Não afeta a nossa imagem internacional. Se as autoridades judiciais entendem que há indícios que exigem investigações, essas investigações devem ser feitas. Vigora o princípio da separação dos poderes. não tenho nada a dizer sobre investigações em curso", frisou.

Questionado sobre as buscas que estão em curso, Santos Silva disse, entre risos, que “naturalmente” que não deveria ter acontecido.

Estão a ser cumpridos dez mandados de detenção, com buscas em mais de 100 locais de Norte a Sul do país. Este caso, que a TVI já designa como “novo escândalo” nas Forças Armadas, prende-se com um esquema em que os suspeitos usavam missões portuguesas, ao abrigo da ONU, na República Centro Africana (RCA), para tráfico de diamantes, de ouro e droga daquele país para a Europa. 

Tráfico seria feito com recurso a aviões militares cuja carga não era fiscalizada.

Há ainda suspeitas de branqueamento de capitais, através de criptomoedas e associação criminosa.

Leia Também: Buscas por suspeita de tráfico a envolver elite do Exército, 10 detidos

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório