Meteorologia

  • 28 NOVEMBRO 2021
Tempo
13º
MIN 7º MÁX 14º

Edição

PS e PSD fazem acordo em Loures para garantir "estabilidade governativa"

O PS e o PSD de Loures, no distrito de Lisboa, estabeleceram um princípio de acordo para garantir a estabilidade governativa da Câmara Municipal, ganha pelo socialista Ricardo Leão sem maioria absoluta, foi hoje divulgado.

PS e PSD fazem acordo em Loures para garantir "estabilidade governativa"

Este acordo abrange também a gestão de algumas freguesias onde o PS não conseguiu maioria absoluta, e prevê, segundo adiantou à agência Lusa o recém-eleito presidente da Câmara Municipal de Loures, Ricardo Leão, a atribuição de alguns pelouros, como o Ambiente, Atividades Económicas, Inovação e Turismo aos dois vereadores social-democratas eleitos.

"Existe um acordo no sentido de criar estabilidade governativa. Encaramos bem os sinais da população de Loures, mas temos de nos focar naqueles que são os problemas do concelho", justificou o autarca.

Ricardo Leão referiu que uma das prioridades será "preparar as candidaturas para os projetos a concretizar no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência", acusando o anterior executivo, presidido por Bernardino Soares (CDU), de atrasar o processo.

Apesar de já existir um princípio de acordo entre o PS e o PSD, o novo presidente da Câmara Municipal de Loures ressalvou que durante esta semana irá também reunir com os vereadores da CDU para discutir a futura gestão.

"Naquilo que é um quadro de diálogo, iremos dialogar com as restantes forças políticas. O nosso foco são as necessidades das pessoas e não as guerrilhas políticas", sublinhou.

Por seu turno, também em declarações à Lusa, o presidente do PSD de Loures e vereador eleito, Nélson Batista, disse que o acordo com o PS será "benéfico para os munícipes" e para a concretização de propostas que estavam inscritas no programa eleitoral dos sociais-democratas.

"O PSD de Loures quer sempre colaborar e a nossa prioridade são as pessoas. Conseguimos um acordo que é bom para as duas partes", sublinhou o autarca.

Segundo adiantou Nélson Batista, além de os dois vereadores sociais-democratas eleitos (Nélson Batista e Vasco Touguinha) assumirem "pelouros estratégicos" como o Ambiente, Economia, Inovação e Turismo e cargos em todas as empresas municipais, será garantida a concretização de propostas como a implementação de um sistema de videovigilância, a construção da variante de Loures e Bucelas e uma saída na Autoestrada 1 para a Bobadela e São João da Talha.

Entretanto, o novo executivo de Loures, que tomou posse na quinta-feira, realizou esta manhã a primeira reunião do órgão, que serviu para aprovar o novo regimento e a delegação de competências no presidente da câmara.

Nesta reunião foi também comunicado o pré-acordo existente entre o PS e o PSD e de que seria realizada uma auditoria às contas da Câmara Municipal.

"Uma auditoria simples, que é isso que compete a cada novo ciclo. Saber o ponto de situação financeira. É assim que é feito aqui e em todos os outros municípios, quando há mudanças de ciclo. Conhecer a realidade de onde nós partimos", justificou, fazendo uma distinção ao tipo de auditoria que Bernardino Soares pediu quando chegou à presidência da autarquia em 2013.

O presidente cessante, Bernardino Soares, que tomou posse como vereador na quinta-feira não esteve presente nesta reunião, fazendo-se substituir.

Apesar de ter tomado posse, ainda não há garantias de que o autarca comunista cumpra o mandato como vereador, encontrando-se neste momento a "refletir com a equipa da CDU", segundo adiantou o próprio à Lusa.

O novo executivo é composto por quatro eleitos do PS, incluindo o presidente, quatro da CDU, dois do PSD e um do Chega.

Segundo os dados provisórios do Ministério da Administração Interna, o socialista Ricardo Leão venceu as eleições autárquicas de 26 de setembro no concelho de Loures, com 31,52% dos votos (quatro mandatos).

Em segundo lugar ficou Bernardino Soares, que presidia ao município de Loures desde 2013, conseguindo 29,05% dos votos e o mesmo número de mandatos do PS.

A terceira candidatura mais votada foi a do PSD, encabeçada por Nélson Batista, que conseguiu 14% dos votos (dois mandatos).

A candidatura do Chega, a quarta mais votada, com 8,42% dos votos, conseguiu eleger um vereador.

Concorreram à Câmara Municipal de Loures Bernardino Soares (CDU), Ricardo Leão (PS), Nélson Batista (PSD), Jorge Santos (CDS-PP), Bruno Nunes (Chega), Filomena Francisco (Iniciativa Liberal), Soraya Ossman (PAN) e João Resa (PCTP-MRPP).

Leia Também: Carlos Moedas toma hoje posse como presidente da Câmara de Lisboa

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório