Meteorologia

  • 25 OUTUBRO 2021
Tempo
17º
MIN 14º MÁX 23º

Edição

PSD vence na Praia da Vitória ao fim de 16 anos, depois de trocas no PS

A coligação PSD/CDS-PP venceu a corrida à Câmara Municipal da Praia da Vitória, nos Açores, num município onde o PS, que liderava há 16 anos, trocou de lista a cerca de dois meses das eleições.

PSD vence na Praia da Vitória ao fim de 16 anos, depois de trocas no PS

Numa eleição que contou ainda com uma candidatura independente, encabeçada por dois vereadores do PS do atual executivo camarário, a deputada regional social-democrata Vânia Ferreira, que encabeçava a lista da coligação, foi eleita presidente do município.

"Se havia dúvidas em relação à escolha a fazer, havendo um partido que de alguma forma se desentende e origina uma segunda lista -- porque podemos dizer que foi um partido que se partiu em dois -- nós tivemos a capacidade de nos unirmos, em função de um bem maior, que era o bem da Praia", afirmou a candidata, em declarações à Lusa.

De acordo com dados finais do Ministério da Administração Interna, a coligação PSD/CDS-PP (a única sem a participação do PPM, que também integra a coligação no Governo Regional) venceu as eleições à Câmara Municipal da Praia da Vitória com 43,91% dos votos, elegendo quatro mandatos, menos um do que o PS, que ficou em segundo lugar com 40,49% dos votos.

A diferença entre as duas candidaturas foi de 364 votos, com a coligação PSD/CDS a obter 4.668 votos e o PS 4.304.

Os socialistas lideravam o município da Praia da Vitória desde 2005 e nas últimas eleições, em 2017, elegeram cinco mandatos, contra dois do PSD.

Tibério Dinis já tinha sido indicado pelo PS para candidatar-se a um segundo mandato, mas em julho, a pouco mais de dois meses das eleições, anunciou que não se recandidataria, alegando incapacidade para gerir "sensibilidades e exigências".

O PS avançou, então, com o deputado regional e ex-membro do Governo Regional Berto Messias como cabeça de lista ao município da Praia da Vitória.

Dois vereadores do PS do atual executivo camarário decidiram candidatar-se também pelo movimento independente "Esta é a nossa Praia", liderado por Tiago Ormonde, que ficou em terceiro lugar, com 9,41% dos votos.

Concorriam ainda a presidente da Câmara Municipal da Praia da Vitória Tiago Azevedo, pelo Chega, que ficou com 1,33%, Joana Bettencourt, pelo BE, com 0,83%, e António Fonseca, pela CDU, com 0,68%.

Assistente social e deputada à Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, desde outubro de 2020, Vânia Ferreira disse que a candidatura da coligação se destacou pela "humildade" e pela forma "diferenciada" com que se apresentou.

"Foi uma campanha de grande proximidade, em que as pessoas valorizaram as nossas formas de ser, sem carreiras políticas associadas. Havia um desgaste muito grande no concelho da Praia em relação ao Partido Socialista. Foi isso que nos fez de alguma forma destacarmo-nos e mostrarmos que para se fazer política não é necessário ser político de carreira", apontou.

A candidata agora eleita reiterou que a primeira medida que tomará como autarca será exigir uma auditoria às contas do município.  

"Eu desde o momento que me envolvi neste projeto assumi logo que a prioridade seria a auditoria às contas da câmara e não vou prescindir disso, de forma alguma. É uma preocupação que tenho desde há muito e que só depois de a concretizar poderei ponderar e perspetivar o melhor desenvolvimento da Praia", frisou.

Em 2017, o PS venceu as eleições autárquicas na Praia da Vitória, com 55,65% dos votos (cinco mandatos), com o PSD a ficar em segundo lugar, com 30,86% (dois mandatos).

Leia Também: Livre elegeu Rui Tavares em Lisboa. "Continua cidade de esquerda"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório