Meteorologia

  • 18 AGOSTO 2022
Tempo
31º
MIN 17º MÁX 32º

"O racismo matou Bruno Candé. É preciso reconhecê-lo para o combater"

Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade lembrou que o racismo "tem ceifado" muitas vidas em Portugal.

"O racismo matou Bruno Candé. É preciso reconhecê-lo para o combater"
Notícias ao Minuto

15:39 - 28/06/21 por Notícias ao Minuto

País Rosa Monteiro

Rosa Monteiro, secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, não deixou passar em branco a condenação do homem que matou a tiro o ator Bruno Candé, que foi conhecida esta segunda-feira. 

"O racismo matou Bruno Candé, e tem ceifado tantas vidas. É preciso reconhecê-lo para o combater", sublinhou a governante, numa mensagem partilhada na sua página oficial no Facebook.

Rosa Monteiro destacou ainda o facto de o tribunal ter dado como provadas as motivações racistas do homem que executou o ator, bem como a postura de frieza com que o matou e a "indiferença e ausência de emoção" que demonstrou durante o julgamento.  

Evaristo Marinho, o homem de 76 anos acusado de ter matado o ator Bruno Candé, em julho do ano passado em Moscavide, foi, esta segunda-feira, condenado a 22 anos de prisão por homicídio qualificado e mais dois por arma ilegal. O condenado ficou com uma pena única de 22 anos e nove meses de prisão efetiva. 

O tribunal determinou também que o condenado terá de pagar uma indemnização de 120 mil euros à família de Bruno Candé. 

Leia Também: Acusado da morte de Bruno Candé condenado a mais de 22 anos de prisão

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório