Meteorologia

  • 10 ABRIL 2021
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 18º

Edição

Almeida Henriques: Cortejo fúnebre nas principais ruas da cidade de Viseu

O cortejo fúnebre de António Almeida Henriques está agendado para esta segunda-feira, com saída marcada do Centro Hospitalar Tondela Viseu (CHTV), onde morreu, e passagem pelas principais ruas da cidade, antes da cerimónia privada, anunciou a autarquia.

Almeida Henriques: Cortejo fúnebre nas principais ruas da cidade de Viseu

"O Município de Viseu informa que, face às restrições impostas pela pandemia da covid-19, as cerimónias fúnebres do presidente da Câmara, António Almeida Henriques, serão privadas e reservadas à família e amigos mais próximos", alerta o comunicado de imprensa, este domingo divulgado.

A nota enviada pela Câmara Municipal de Viseu esclarece, no entanto, que, "atendendo ao carinho demonstrado por todos os viseenses, a deslocação da urna, entre o Hospital de São Teotónio e o cemitério, irá passar pelas principais artérias da cidade de Viseu".

"O objetivo é evitar aglomerações num único local e, cumprindo todas as orientações da Direção-Geral da Saúde e da Autoridade de Saúde, permitir que os viseenses possam, ainda assim, despedir-se e prestar uma última homenagem a António Almeida Henriques", acrescenta.

O documento explica o trajeto, que tem início na Rua Professor Egas Moniz (junto ao Hospital), segue pela Avenida Alexandre Herculano e rotunda de Santa Cristina. Dá a volta ao centro histórico com passagem por Praça Dom Duarte, Rua do Adro, Largo Pintor Gata, Largo Major Teles, seguindo depois em direção à rotunda Dom João I e à Avenida 25 de Abril.

O trajeto, continua a nota de imprensa, "inclui em seguida a passagem pelos Paços do Concelho, continuando pela Av. Europa e terminando no cemitério de Abraveses", refere o comunicado, onde ficará depositado.

"O Município de Viseu lembra que se encontra em vigor o estado de emergência, pelo que se apela ao bom senso de todos os viseenses para que cumpram as normas da Autoridade de Saúde e evitem aglomerações de qualquer género", alerta.

O documento pede ainda o "respeito de todos pela privacidade da família, neste momento de enorme sofrimento", e deixa um "agradecimento sentido à onda de solidariedade que se verificou nas últimas horas, bem visível nos milhares de mensagens que têm chegado pelos diferentes canais e dos mais variados quadrantes da sociedade portuguesa".

O presidente da Câmara de Viseu, António Almeida Henriques, morreu este domingo, aos 59 anos, vítima de complicações respiratórias decorrentes da covid-19.

Militante social-democrata desde a década de 1980, era ainda vice-presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP), presidente da secção de 'Smart Cities' (Cidades Inteligentes) da ANMP e presidente do Conselho-Geral da Fundação para os Estudos e Formação nas Autarquias Locais (FEFAL).

Foi deputado à Assembleia da República, nas IX, X e XI e XII Legislaturas, e vice-presidente do grupo parlamentar do PSD entre 2005 e 2007 e 2010 e 2011. 

Participou também no Governo PSD/CDS-PP liderado por Passos Coelho e Paulo Portas como secretário de Estado-Adjunto da Economia e Desenvolvimento Regional, entre 2011 e 2013. 

O autarca social-democrata foi diagnosticado com covid-19 no início de março, altura em que foi internado no Hospital de São Teotónio, em Viseu.

A Câmara de Viseu decretou três dias de luto municipal, a partir deste domingo.

Leia Também: Direção do PS lamenta morte do presidente da Câmara de Viseu

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório