Meteorologia

  • 27 MAIO 2022
Tempo
21º
MIN 16º MÁX 34º

Recusar ser vacinado "é uma hipótese que as pessoas não deviam colocar"

Graça Freitas apelou aos portugueses que "ponderem muito bem antes de recusar" a vacina da AstraZeneca ou de qualquer outra marca.

Recusar ser vacinado "é uma hipótese que as pessoas não deviam colocar"
Notícias ao Minuto

20:17 - 18/03/21 por Melissa Lopes

País Vacinação

A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, disse esta quinta-feira que recusar ser vacinado com a vacina da AstraZeneca ou de qualquer outra marca é "uma hipótese que as pessoas não deviam colocar". 

"A recusa de uma vacina é recusar proteger-se e recusar proteger-se contra uma doença grave", afirmou durante a conferência de imprensa em que foi anunciada a retoma do uso do fármaco da AstraZeneca no país a partir da próxima segunda-feira, dia 22.

Questionada sobre a desconfiança que os cidadãos possam ter em relação a esta vacina, a responsável deixou "um grande apelo" aos portugueses para que "ponderem muito bem antes de recusar" .

"A alternativa é continuarem vulneráveis, suscetíveis e poderem desenvolver uma doença potencialmente grave ao ponto de ser letal", lembrou. 

Portugal anunciou esta quinta-feira que vai retomar a administração da vacina da AstraZeneca na segunda-feira, depois de ter suspendido o uso do fármaco durante uns dias. 

O plano de utilização da vacina da AstraZeneca, que sofreu uma pausa de dias, vai ser "posto em marcha, outra vez, a partir de segunda-feira. Vamos retomar o plano acelerando e recuperando o atraso" destes quatro, cinco dias em que não se administrou esta vacina, assegurou o vice-almirante Gouveia e Melo. 

Uma decisão que acontece depois de a Agência Europeia do Medicamento (EMA) ter concluído que a vacina em causa é "segura" e "eficaz". 

Depois de uma investigação nos últimos dias dos especialistas do regulador europeu, Emer Cooke garantiu que a administração da vacina da AstraZeneca "não está associada a um aumento do risco de eventos tromboembólicos responsáveis pelos coágulos sanguíneos" nalguns dos vacinados com este fármaco.  

Questionado na conferência conjunta com o Infarmed e a DGS sobre quantas pessoas ficaram por vacinar durante suspensão da AstraZeneca,  Gouveia e Melo disse terem sido adiadas inoculações de perto de 120 mil pessoas.

Um atraso que o responsável garantiu que "vamos recuperar muito rapidamente". "Vamos continuar a vacinar outras pessoas, para além dessas 120 mil. Mais uma semana, semana e meia, vamos ter o plano recuperado como se não tivéssemos feito nenhuma pausa", frisou.

A vacinação dos docentes e não docentes, que estava prevista começar este fim de semana, iniciar-se-á no fim de semana seguinte, dia 27 e 28 de março. 

Leia Também: AO MINUTO: Suspensão atrasou vacinação de "120 mil pessoas" em Portugal

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório