Meteorologia

  • 13 AGOSTO 2022
Tempo
19º
MIN 17º MÁX 28º

Santos Silva acredita que Cimeira UE-Índia, em maio, será presencial

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, disse hoje acreditar que a Cimeira UE-Índia, agendada para 08 de maio, no Porto, tem condições para decorrer presencialmente, sublinhando a "riqueza" dos temas em debate.

Santos Silva acredita que Cimeira UE-Índia, em maio, será presencial

Para Augusto Santos Silva, que intervinha numa audição da comissão parlamentar dos Assuntos Europeus, "não há nenhuma razão para acreditar que [a cimeira UE-Índia] não se possa fazer presencialmente", pelo que os líderes europeus encontrar-se-ão com o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, no Porto, a seguir ao Conselho Europeu informal.

Na semana passada, a secretária de Estado dos Assuntos Europeus, Ana Paula Zacarias, referiu, à Lusa, que o Governo tudo está a fazer para que a Cimeira UE-Índia e a Cimeira Social, esta última também prevista para 08 de maio, no Porto, possam decorrer em formato presencial.

"Estamos a trabalhar na agenda e já é claro que a agenda será rica", sublinhou o ministro dos Negócios Estrangeiros, acrescentando que na mesma constam já temas relacionados com questões económicas e comerciais, a cooperação digital e a cooperação da conectividade.

Contudo, Santos Silva considera que "tão importante como estas agendas todas é o diálogo político regular entre aquelas que são as duas maiores democracias políticas do mundo, a Índia e a União Europeia".

"É muito importante para nós que tenhamos relações consolidadas naquela grande região do mundo, não só com Austrália, Nova Zelândia, que são aliados muito próximos, como com o Japão e Coreia, que são aliados muito fortes da UE, como com a China, Índia e sudeste asiático", sublinhou, acrescentando que agora "é altura de reforçar o relacionamento com a Índia".

O ministro dos Negócios Estrangeiros referiu ainda que a presidência portuguesa do Conselho da UE está a preparar "o enriquecimento da agenda entre a União Europeia e a União Africana", tendo como objetivos muito importantes a conclusão do processo negocial relativo ao acordo pós-Cotonu e a realização de um fórum económico, a 22 e 23 de abril, em Lisboa, tendo em vista o investimento para a transição verde em ambas as regiões.

O acordo pós-Cotonu consiste no novo acordo-quadro das relações entre a União Europeia e 79 países de África, Caraíbas e Pacífico (ACP) -- incluindo 48 países da África Subsariana - para os próximos dez anos.

Um projeto foi assinado a 17 de dezembro, mas subsistem resistências importantes ao texto, em ambos os lados das negociações.

Leia Também: Santos Silva esclarece que UE mantém exigências ambientais com o Brasil

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório