Meteorologia

  • 05 MARçO 2021
Tempo
14º
MIN 10º MÁX 16º

Edição

RCA: Gomes Cravinho descarta reforço do contingente português

O ministro da Defesa Nacional descartou hoje um eventual reforço dos efetivos militares portugueses na República Centro-Africana (RCA), algo que "está a ser examinado em Nova Iorque no Conselho de Segurança das Nações Unidas".

RCA: Gomes Cravinho descarta reforço do contingente português
Notícias ao Minuto

14:33 - 12/02/21 por Lusa

País RCA

"No que toca ao contingente português, ele é extremamente valioso no quadro em que já está que é o de uma Força de Reação Rápida. Aquilo que nos pedem é que continuemos a desempenhar essas funções", afirmou Gomes Cravinho.

O responsável da tutela respondia a perguntas dos jornalistas à margem de uma visita ao Comando Conjunto para as Operações Militares, em Oeiras, onde está instalado o grupo de apoio ao coordenador do grupo de trabalho ('task force') do Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19, Vice-Almirante Gouveia e Melo.

"Aquilo que é reconhecido por todos é a enorme eficácia do contingente português que lá está. São cerca de 200 militares num quadro de 11.000. Esses 200 têm um impacto desproporcional em relação àquilo que é a MINUSCA como um todo", disse o governante, adiantando que se vai efetuar "a substituição de contingentes menos operacionais por contingentes mais operacionais", de entre as forças de outros países destacados na RCA.

A Missão das Nações Unidas na República Centro Africana (MINUSCA) solicitou à ONU um reforço de até três mil efetivos para ajudar os militares no terreno a estabilizar a região, revelou quinta-feira o segundo comandante Maia Pereira.

Este major-general português foi ouvido por videoconferência na Comissão de Defesa Nacional da Assembleia da República.

A RCA caiu no caos e na violência em 2013, após o derrube do então Presidente François Bozizé, por grupos armados juntos na Séléka, o que suscitou a oposição de outras milícias, agrupadas na anti-Balaka.

Desde então, o território centro-africano tem sido palco de confrontos comunitários entre estes grupos, que obrigaram quase um quarto dos 4,7 milhões de habitantes da RCA a abandonarem as suas casas.

Portugal tem atualmente na RCA 243 militares, dos quais 188 integram a MINUSCA e 55 participam na missão de treino da União Europeia (EUTM), liderada por Portugal, pelo brigadeiro general Neves de Abreu, até setembro de 2021.

Leia Também: Ministro expressa "profundo pesar" pela morte do CEMGFA de Moçambique

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório