Meteorologia

  • 08 MAIO 2021
Tempo
18º
MIN 13º MÁX 24º

Edição

Mais de 16 queixas/dia sobre compras online enviadas à Deco em janeiro

Mais de 16 reclamações por dia sobre compras online chegaram em janeiro à Deco, 521 no total, mais quatro por dia, em média, do que há um ano, antes de decretado o primeiro estado de emergência.

Mais de 16 queixas/dia sobre compras online enviadas à Deco em janeiro
Notícias ao Minuto

09:22 - 07/02/21 por Lusa

País DECO

"Estamos outra vez a receber mais reclamações dos consumidores (...) um 'boom' de reclamações de comércio online do retalho alimentar", afirmou o coordenador do departamento económico e jurídico da Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor - Deco, Paulo Fonseca, à Lusa, comparando as queixas com as recebidas nos meses anteriores à ordem de recolhimento e também com o aumento, de 160 queixas, face às 361 registadas em janeiro do ano passado, uma média de 12 queixas por dia.

Nas 521 reclamações sobre comércio online recebidas pela Deco em janeiro, os principiais problemas denunciados são atrasos na entrega/inexistência de stock, bem comprado que não corresponde à expectativa, resolução do contrato e atraso na devolução do dinheiro e acerca da compra e dificuldades em concretizar a eliminação de defeitos (reparação e/ou outras soluções).

"Muitas empresas" desconhecem os direitos dos consumidores, denunciou Paulo Fonseca, lembrando que esses direitos não são iguais na compra presencial ou na compra via internet e que, no caso desta última, muitas empresas desconhecem que o comprador pode desistir da compra sem ter de justificar a decisão, desde que comunique essa intenção ao vendedor, por escrito, nos 14 dias após a receção do bem.

Segundo a lei, o bem deve ser devolvido ao vendedor no prazo de 14 dias após a data em que tiver comunicado essa decisão, dispondo o vendedor de 14 dias para proceder ao reembolso de todos os pagamentos recebidos, incluindo os custos de entrega do bem.

"As empresas não estavam preparadas para a mudança de hábitos dos consumidores" para o comércio online, defendeu Paulo Fonseca, considerando ter havido "uma transição digital muito rápida" dos consumidores que não foi acompanhada por muitas empresas.

Mas o jurista admite que a subida de reclamações no mês passado "não é o mesmo boom de reclamação" registado em 2020, quando os portugueses, pela primeira vez, viveram o dever de recolhimento e muitos, para se protegerem da doença covid-19, começaram a fazer compras de retalho alimentar apenas em lojas 'online'.

Entre janeiro e maio do ano passado, a Deco recebeu 3.500 reclamações sobre compras online, um aumento de 250% face a igual período de 2019, estando as denúncias mais frequentes relacionadas com dificuldades na contratação, na entrega dos bens e na segurança dos meios de pagamento.

Em todo o ano de 2020, segundo dados divulgados pela Deco esta semana, a compra e venda registou um aumento de 46% nas reclamações, que passaram de 22.366 queixas em 2019 para 32.866 em 2020, colocando a compra dos bens de consumo no segundo lugar dos mais reclamados à associação no ano passado, a seguir às telecomunicações que voltaram a liderar as queixas, pelo 13.º ano consecutivo, aumentando 30% face a 2019.

Leia Também: Mais tempo em casa? Como poupar nos consumos de água e energia

Notícias ao Minuto nomeado para os Prémios Marketeer

O Notícias ao Minuto é um dos nomeados da edição de 2021 dos Prémios Marketeer, na categoria de Digital Media. As votações decorrem até ao próximo dia 31 de maio.

Para nos ajudar a vencer, basta aceder ao site da iniciativa organizada pela revista Marketeer, clicando aqui, e proceder ao preenchimento do formulário, selecionando Notícias ao Minuto na categoria de Digital Media e formalizando depois a votação. Obrigada pela sua preferência!

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório