Meteorologia

  • 25 FEVEREIRO 2021
Tempo
11º
MIN 11º MÁX 16º

Edição

Temperaturas baixas provocaram "episódio de poluição grave"

As baixas temperaturas nos dias 16 e 17 resultaram em "níveis dramáticos" da qualidade do ar em parte do país, alertou hoje a associação Zero, que apelou para a contenção da queima de lenha para reduzir a poluição atmosférica.

Temperaturas baixas provocaram "episódio de poluição grave"

"As temperaturas muito baixas no passado fim de semana conduziram a um episódio de poluição particularmente grave pelas enormes emissões provenientes do uso de lenha em muitas habitações em zonas urbanas e rurais que se verificaram desde a Península de Setúbal até à região Norte", adiantou a associação ambientalista em comunicado.

Segundo a Zero, as condições meteorológicas nestes dois dias facilitaram concentrações "muito elevadas de alguns poluentes", caso de partículas resultantes da queima de biomassa.

"A Zero, através da consulta ao 'site' da Agência Portuguesa do Ambiente que disponibiliza as medições, identificou que no domingo, 17 de janeiro, foi ultrapassado o valor-limite diário de partículas inaláveis em cinco estações de monitorização de qualidade do ar das redes geridas pelas diferentes Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional", salientou.

Segundo a associação, as duas piores situações verificaram-se nas estações de Paio Pires, no Seixal, e em Estarreja. Na Área Metropolitana de Lisboa Sul, envolvendo concelhos como Almada, Barreiro e Seixal, o índice de qualidade do ar no domingo foi "mau", enquanto a norte do Tejo, três zonas apresentavam um índice "fraco" e as restantes "médio", com uma única exceção no interior centro, refere.

Na consulta que a Zero efetua às medições de qualidade do ar através da Internet, "sobressai um alerta urgente para a necessidade e obrigação de disponibilização de dados em muitas estações da região Norte".

Segundo a associação, este caso de poluição é "consequência da falta de políticas que alertem para a perigosidade do uso excessivo de lenha, principalmente de forma ineficiente, e do custo que soluções alternativas estruturais têm, a começar pela sustentabilidade energética dos edifícios, à promoção de sistemas de climatização ativa eficientes e menos poluentes".

Leia Também: Depois de Hortense, Ignacio. Chuva deixa seis distritos em alerta

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório