Meteorologia

  • 25 NOVEMBRO 2020
Tempo
12º
MIN 9º MÁX 15º

Edição

Covid-19: Portugal regista mais 69 mortes e 6.994 infetados

Boletim epidemiológico desta quinta-feira já foi divulgado.

Covid-19: Portugal regista mais 69 mortes e 6.994 infetados

Portugal notificou, nas últimas 24 horas, mais 69 mortes relacionadas com a Covid-19 e mais 6.994 casos positivos de infeçãopor SARS-CoV-2, indica o boletim epidemiológico da Direção-Geral de Saúde (DGS) desta quinta-feira. Estes dados revelam que o país atingiu hoje num novo máximo de casos diários.

Em termos acumulados, o país regista 3.701 vítimas mortais e 243.009 infeções por SARS-CoV-2.

Comparativamente a quarta-feira, há uma variação de 1,90% no número de óbitos e de 2,96% no número de novos casos.

Existem, à data, 81.384 casos ativos da doença provocada pelo novo coronavírus (mais 2.703 em relação a ontem).

Esta quinta-feira, 3.017 pessoas estão internadas em enfermarias (menos 34). Por outro lado, aumentou o número de doentes em unidades de cuidados intensivos, sendo que há mais 26, num total de 458.


Quanto ao número de recuperados, é hoje de 157.924, o que reflete um aumento de 4.222 pessoas que recuperaram da doença.

Distribuição geográfica

O Norte lidera a tabela que reflete o número de infeções em 24 horas, com mais 4.415 casos (em 124.572). A região conta hoje também mais 29 mortes (total é de 1.726).

Segue-se Lisboa e Vale do Tejo, que soma mais 1.542 casos (acumulado de 84.800) e mais 24 vítimas mortais (em 1.363).

O Centro, por sua vez, tem mais 724 infeções (em 22.921) e 12 óbitos (total de 466). No Alentejo, as autoridades sanitárias registaram mais 145 casos em 24 horas (em 4.825) e um morto (total de 89).

No Algarve, há mais 102 casos (em 4.459) e três mortes (total é de 40).

Nos arquipélagos, há apenas alteração no número de novas infeções, com os Açores a somarem mais 40 casos e a Madeira mais 26.

Esta quinta-feira fica marcada pelo regresso das reuniões com especialistas no Infarmed sobre a situação epidemiológica em Portugal. O encontro antecede a reunião de Conselho de Ministros prevista para sábado, onde o Governo deverá tomar novas medidas para travar a disseminação da doença.

A ministra da Saúde disse na quarta-feira, na habitual conferência de imprensa, que "o que preocupa neste momento é a elevada incidência" (...), "o que torna o ciclo da doença uma preocupação para o funcionamento da sociedade e, concretamente, para os serviços de saúde".

Concretizando depois que números de contágios diários acima dos 5 mil, 6 mil, e potencialmente mais elevados,"têm efeitos absolutamente nefastos"naquilo que é "a utilização dos serviços de saúde, naquilo que é a doença que estãoinfetadaspelo vírus e que tem consequências que nós não conhecemos ainda totalmente".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório