Meteorologia

  • 03 DEZEMBRO 2020
Tempo
MIN 8º MÁX 16º

Edição

PJ investiga segunda morte no SEF do Aeroporto de Lisboa

Inspetores apanharam uma troca de mensagens suspeita enquanto investigavam o homicídio de um cidadão ucraniano.

PJ investiga segunda morte no SEF do Aeroporto de Lisboa

A Polícia Judiciária (PJ) está a investigar uma segunda morte no Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) do Aeroporto de Lisboa, onde, em março, Ihor Homeniuk foi morto com extrema violência, avança a TVI24.

De acordo com o canal de Queluz de Baixo, a PJ está a investigar um alegado segundo homicídio depois de, na análise feita aos telemóveis apreendidos, ter apanhado uma mensagem trocada num grupo de conversação entre os vigilantes do aeroporto, onde uma funcionária da PRESTIBEL levanta a suspeita.

"Este já é o segundo no meu turno", lê-se na mensagem suspeita.

A nova investigação surge depois do Ministério Público (MP) ter extraído uma certidão para apurar eventuais crimes de falsificação de documento por causa do auto de notícia da morte do cidadão ucraniano, onde os inspetores do SEF declararam que o homem morreu de doença súbita.

O MP e a PJ temem agora que, num eventual segundo caso de violência, as causas da morte tenham sido camufladas da mesma forma. 

Recorde-se que o MP acusou, esta quarta-feira, três inspetores do SEF de homicídio qualificado de um cidadão ucraniano, ocorrido a 12 de março, no Centro de Instalação Temporária do Aeroporto de Lisboa.

Segundo o MP, as agressões cometidas pelos inspetores do SEF, que agiram em comunhão de esforços e intentos, provocaram a Ihor Homenyuk "diversas lesões traumáticas que foram causa direta" da sua morte.

Entretanto, na terça-feira a Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) decidiu instaurar mais oito processos disciplinares a elementos do SEF na sequência do inquérito que apurou as circunstâncias da morte do cidadão ucraniano.

Além dos oito processos disciplinares agora instaurados pela IGAI, já tinham sido abertos procedimentos disciplinares ao diretor e subdiretor de Fronteiras de Lisboa, ao Coordenador do Espaço Equiparado a Centro de Instalação Temporária (EECIT) do aeroporto, bem como aos três inspetores SEF agora acusados.

O caso da morte de Ihor Homenyuk levou à demissão do diretor e do subdiretor de Fronteiras do aeroporto de Lisboa pela diretora do SEF, Cristina Gatões.

O centro de instalação temporária do SEF no aeroporto de Lisboa está encerrado para obras desde abril.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório