Meteorologia

  • 09 JULHO 2020
Tempo
29º
MIN 19º MÁX 29º

Edição

Pais de Maddie passavam todos os dias perto de casa onde suspeito morou

Imprensa britânica revela que o suspeito de raptar Maddie morava com a namorada numa casa em Lagos, no Algarve. Pais da menina passavam diariamente lá perto depois do desaparecimento, em maio de 2007. Christian Brueckner terá contado a um amigo, em 2017, que "sabia tudo" sobre o que aconteceu à menina.

Pais de Maddie passavam todos os dias perto de casa onde suspeito morou

Christian Brueckner, o homem de 43 anos que é agora o principal suspeito do rapto e do homicídio de Maddie, morou numa casa perto do local onde a criança desapareceu em 2007, na praia da Luz, no Algarve. Nos dias que se seguiram ao desaparecimento da criança, Kate e Gerry terão passado diariamente perto daquela moradia, escreve o Mirror esta sexta-feira. 

A casa em questão situa-se a poucos passos da zona onde foram feitas buscas em 2014. 

O mesmo meio conta que o alemão morou naquela casa juntamente com a namorada até 2006, mulher que a polícia agora procura. 

Um britânico, que na altura tinha 14 anos, contou que se lembra de ter visto o Jaguar do suspeito, mas nunca a caravana descrita pelas autoridades. 

O proprietário da moradia disse, em declarações à Sky News, que a polícia lhe pedira informações de Christian Brueckner. Afirmou também que, na altura, o casal lhe parecera um jovem casal a tentar sobreviver em Portugal. "Mais tarde descobrimos que a namorada voltou à Alemanha", contou, revelando que fora contactado pela polícia britânica e pela polícia portuguesa.

A casa em questão, sublinha ainda a imprensa, é cercada por um matagal, num terreno onde há alguns poços profundos. 

Madeleine McCann tinha apenas três anos quando desapareceu em 3 de maio de 2007, quando estava de férias com os pais num aldeamento turístico em Lagos, perto da praia da Luz. As autoridades do Reino Unido e da Alemanha revelaram na quarta-feira que o suspeito tem 43 anos e atualmente está preso na Alemanha por outro crime, e que suspeito frequentava a área da praia da Luz, na época em a filha mais velha dos McCann desapareceu.

Suspeito terá revelado a amigo que sabia "tudo sobre o que aconteceu" a Maddie

De acordo com a imprensa britânica, o suspeito terá contado a um amigo,  numa ida a um bar, que sabia tudo o que aconteceu à criança.

A confissão, que terá ditado esta investigação, terá acontecido em 2017, quando se assinalavam os 10 anos do desaparecimento de Maddie. Ao ver a imagem da menina na televisão, Christian Brueckner, terá dito ao amigo que "sabia tudo" sobre o que aconteceu. O homem terá mostrado também ao amigo um vídeo dele a violar uma mulher. 

"Assumimos que a criança está morta"

Hans Christian Wolters, procurador em Braunschweig, Alemanha, disse aos jornalistas que os investigadores estão a trabalhar com a suposição de que Madeliene McCann está morta, admitindo mesmo que o cidadão alemão, de 43 anos, é suspeito de homicídio. "Assumimos que a criança está morta", adiantou o investigador germânico.

O caso Maddie tornou-se rapidamente num dos grandes casos mediáticos a nível global depois de o casal MacCann alertar que a criança tinha desaparecido do quarto onde dormia com os irmãos gémeos, enquanto os pais jantavam com amigos num restaurante próximo.

Ao longo do tempo, mais de 600 pessoas analisadas e referenciadas como podendo estar ligadas ao desaparecimento, tendo o novo suspeito - o alemão de 43 anos - surgido na sequência de um apelo sobre novas informações, lançado em 2017, volvida uma década sobre o caso.

A polícia descreveu o suspeito como sendo caucasiano, magro e de cabelos loiros, e que tinha uma caravana no Algarve em 2007. Suspeita-se que tenha percorrido a área do 'resort' nos dias anteriores e posteriores à data do desaparecimento de Maddie.

Christian Hoppe, do Departamento Federal de Polícia Criminal da Alemanha, revelou à emissora pública alemã ZDF que o suspeito está atualmente preso na Alemanha pela prática de um crime sexual e que o ora detido viveu vários anos em Portugal e possui duas condenações anteriores por "abuso sexual de raparigas".

Hoppe disse que a polícia alemã não descarta que tenha havido um motivo sexual, nomeadamente que tenha decidido raptar a criança após inicialmente ter invadido o apartamento dos MCCann com intenção de roubar.

Hans Wolters não quis dar mais detalhes da identidade do suspeito para não comprometer a investigação em curso, embora a imprensa alemã tenha adiantado que se trata de Cristhian B.

Notícias ao MinutoFotografia do suspeito divulgada pela imprensa© Reprodução

A descrição de Wolters encaixa-se na de um homem de 43 anos que foi condenado em dezembro de 2005 por violação de uma norte-americana, que tinha 72 anos à data, tendo o crime sido cometido num apartamento em Portugal, informou o jornal local alemão Braunschweiger Zeitung.

O detido - agora suspeito no caso McCann - negou as acusações durante o julgamento por violação da norte-americana e o processo está presentemente em sede de recurso. Hoppe, por seu turno, mencionou que o suspeito vivia entre Lagos e a Praia da Luz, tendo estado regularmente na região do Algarve entre 1995 e 2007.

"Pais continuam esperançados"

Entretanto, as polícias da Grã-Bretanha, Alemanha e Portugal lançaram um novo apelo conjunto na quarta-feira destinado a obter mais informações, nomeadamente sobre os dois veículos do suspeito - uma van Volkswagen e um Jaguar.

As polícias buscam também mais informações sobre dois números de telefone portugueses, incluindo um que se acredita ter sido usado pelo suspeito no dia do desaparecimento de Madeleine.

O porta-voz do casal McCann revelou o estado de alma dos pais da criança: "Eles continuam esperançados de que ela ainda possa ser encontrada viva. Eles nunca desistiram dessa esperança, nem desistirão, até que sejam apresentados com qualquer evidência incontestável do contrário. Eles dizem que qualquer que seja o resultado desta linha de investigação, precisam saber o resultado, para encontrar a paz".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório