Meteorologia

  • 08 JULHO 2020
Tempo
26º
MIN 17º MÁX 28º

Edição

Covid-19: Cascais arranca amanhã com produção própria de máscaras

A Câmara Municipal de Cascais vai arrancar na sexta-feira com a produção própria de máscaras destinadas à população, estimando uma produção de cinco milhões de unidades por mês deste equipamento de proteção pessoal, anunciou hoje a autarquia.

Covid-19: Cascais arranca amanhã com produção própria de máscaras
Notícias ao Minuto

09:59 - 04/06/20 por Lusa

País Covid-19

Em comunicado, a câmara, liderada por Carlos Carreiras, adianta que as máscaras se destinam a alimentar os 400 dispensadores espalhados pelo concelho e à distribuição gratuita aos utilizadores de transportes públicos, onde este equipamento é de uso obrigatório na sequência das medidas de prevenção da covid-19.

A Câmara de Cascais colocou 400 dispensadores espalhados pelo município, onde, por um euro, é possível obter quatro máscaras, ou seja, a 25 cêntimos cada.

Aos utentes de transportes públicos, estão a ser distribuídas máscaras gratuitamente em todas as estações de comboios, terminais rodoviários, interfaces ou paragens de autocarro de maior afluência.

A distribuição das máscaras está a ser assegurada por uma equipa de voluntários.

"Depois de ter adquirido duas máquinas na China, a Câmara Municipal de Cascais fica agora completamente autossuficiente na produção deste equipamento de proteção pessoal que tem sido escasso e a preços por vezes incomportáveis para as famílias portuguesas", é referido.

De acordo com este município do distrito de Lisboa, esta autossuficiência visa a proteção de toda a população a preços acessíveis e, simultaneamente, quebrar o ciclo especulativo que se instalou no mercado.

O presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras, disse anteriormente à Lusa que esta é mais uma das muitas medidas que a autarquia tem vindo a implementar para fazer face aos efeitos da covid-19. Inicialmente o município tinha um investimento de cinco milhões de euros, mas atualmente já ultrapassa os 10 milhões.

Portugal contabiliza pelo menos 1.447 mortos associados à covid-19 em 33.261 casos confirmados de infeção, segundo o mais recente boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS), divulgado na quarta-feira.

Portugal entrou no dia 03 de maio em situação de calamidade devido à pandemia, que sexta-feira foi prolongado até 14 de junho, depois de três períodos consecutivos em estado de emergência desde 19 de março.

Esta fase de combate à covid-19 prevê o confinamento obrigatório apenas para pessoas doentes e em vigilância ativa e o uso obrigatório de máscaras ou viseiras em transportes públicos, serviços de atendimento ao público, escolas e estabelecimentos comerciais.

Novas medidas entraram em vigor na segunda-feira, 01 de junho, com destaque para a abertura dos centros comerciais (à exceção da Área Metropolitana de Lisboa, onde continuarão encerrados até hoje, pelo menos), dos ginásios ou das salas de espetáculos.

Estas medidas juntam-se às que entraram em vigor no dia 18 de maio, entre as quais a retoma das visitas aos utentes dos lares de idosos, a reabertura das creches, aulas presenciais para os 11.º e 12.º anos e a reabertura de algumas lojas de rua, cafés, restaurantes, museus, monumentos e palácios.

No sábado, regressaram as cerimónias religiosas comunitárias enquanto a abertura da época balnear acontecerá no próximo sábado, 06 de junho.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório