Meteorologia

  • 24 NOVEMBRO 2020
Tempo
10º
MIN 9º MÁX 18º

Edição

Após polémica, António Costa e Mário Centeno estão reunidos

O primeiro-ministro e o ministro das Finanças estão reunidos em São Bento. Terá sido António Costa a chamar, esta noite, Mário Centeno à sua residência oficial.

Após polémica, António Costa e Mário Centeno estão reunidos

Está neste momento a decorrer uma reunião de última hora entre o primeiro-ministro e o ministro das Finanças, na residência oficial do chefe do Governo em São Bento, avança a RTP3.

A reunião - que não foi confirmada oficialmente - surge momentos depois de o líder do PSD, Rui Rio, ter pedido a demissão de Mário Centeno devido à polémica com a injeção ao Novo Banco.

Depois de ter afirmado nas redes sociais que o ministro das Finanças "não tem condições para continuar" no Governo, Rui Rio reiterou, em declarações aos jornalistas no Parlamento, que se ele fosse o primeiro-ministro, Mário Centeno já não era ministro.

"A minha opinião face ao que aconteceu hoje no Parlamento é manifesto que o ministro das Finanças não tem condições para continuar”, afirmou Rui Rio.

Numa audição regimental da Comissão de Orçamento e Finanças do parlamento, que decorreu hoje, Centeno afirmou que a transferência - no valor de 850 milhões de euros - "não foi feita à revelia" e que não "nenhuma decisão do Governo que não passe por uma decisão conjunta do Conselho de Ministros".

A notícia de que a transferência de 850 milhões de euros tinha sido feita foi avançada pelo Expresso, após, no mesmo dia, António Costa ter garantido, no debate quinzenal, que não haveria mais ajudas até que os resultados da auditoria ao Novo Banco fossem conhecidos.

Mário Centeno apontou que se tinha tratado de uma "falha de comunicação", mas "não uma falha financeira".

Também o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa comentou a polémica, referindo que "havendo, e bem, uma auditoria cobrindo o período até 2018 - a auditoria que tinha pedido há um ano -, faz todo o sentido o que disse o senhor primeiro-ministro no Parlamento: é politicamente diferente o Estado assumir responsabilidade dias antes de se conhecer as conclusões de uma auditoria, ou a auditoria ser concluída dias antes de o Estado assumir responsabilidades".

Terá sido, aliás, devido a estas declarações do chefe de Estado que, segundo avança a SIC Notícias, o primeiro-ministro decidiu chamar o ministro a São Bento, sem que os restantes ministros tenham sido informados da reunião desta noite.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório