Meteorologia

  • 28 NOVEMBRO 2022
Tempo
17º
MIN 9º MÁX 17º

"Possibilidade de ter um hospital só de Covid não está em cima da mesa"

A ministra da Saúde, Marta Temido, e a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, marcaram presença na conferência de imprensa deste domingo.

"Possibilidade de ter um hospital só de Covid não está em cima da mesa"
Notícias ao Minuto

13:39 - 10/05/20 por Fábio Nunes

País Coronavírus

Na conferência de imprensa diária deste domingo, a ministra da Saúde, Marta Temido, revelou que desde o dia 1 de março "foram realizados mais de 532 mil testes de diagnóstico à Covid-19". "Deste total, cerca de 15% foram realizados em março, cerca de 65% em abril e 20% já em maio", realçou a ministra. Questionada sobre o número de testes nesta primeira fase de desconfinamento, Marta Temido disse que entre os dias 1 e 8 de maio foram realizados mais de 105 mil testes, "uma média que ultrapassa os 13 mil testes por dia"

A responsável pela pasta da Saúde referiu que ainda estão a ser realizados testes a funcionários de lares nas regiões Centro e de Lisboa e Vale do Tejo. Esse processo está mais atrasado no Alentejo. Nas restantes regiões, os testes aos funcionários dos lares foram concluídos. 

A ministra enfatizou mais uma vez a importância dos testes. "Como acontece noutros países, a estratégia de desconfinamento está a associada a uma lógica de testar, testar", frisou. 

Marta Temido foi inquirida sobre a possibilidade de Portugal vir a ter uma unidade hospitalar só para Covid-19, seguindo o exemplo de Espanha. Marta Temido afastou essa hipótese por agora. 

"Neste momento o que continuamos a fazer é rentabilizar a nossa capacidade instalada em termos de atividade assistencial não-Covid. Essa possibilidade de termos um hospital só de Covid não está em cima da mesa, mas esses são cenários que vão sendo sempre acompanhados", afirmou. 

Depois de este sábado ter sido anunciado que morreram três crianças em Nova Iorque com sintomas semelhantes ao síndrome de Kawasaki, que tinham testado positivo para a Covid-19, Graça Freitas fez o ponto de situação sobre o caso de uma criança em Portugal com Covid e que apresentou sintomas associados ao síndrome de Kawasaki. 

"A criança teve uma situação clínica, que não sendo o síndrome de Kawasaki, tem características semelhantes e é Covid positivo. Está a ter uma evolução favorável e recuperação favorável e é o único caso que temos em Portugal", salientou a diretora-geral da Saúde. 

Regras para as creches e no turismo

A partir do próximo dia 18 vão reabrir as creches no país. Na conferência de imprensa, Marta Temido revelou que a definição das regras já está "concluída" neste momento, faltando a sua publicação. A ministra acrescentou que os testes aos funcionários das creches estão dependentes "do momento em que as creches retomem a sua atividade". 

Temido falou ainda sobre a especificidade da reabertura das creches.

"A questão que se coloca nas creches têm a ver com o distanciamento deste público muito específico. Temos de ter em atenção que em alguns países as creches nem fecharam. É o caso da Suécia, um país com o qual, por muitos motivos, costumamos gostar de nos comparar e temos de estar bastante atentos relativamente ao que é a compatibilização de um conjunto de medidas e regras de higienização e de manutenção das condições possíveis, mas temos também de ter em boa atenção que estamos a falar de pessoas que, devido à sua tenra idade, têm maior dificuldade no cumprimento de regras que impomos aos outros, nomeadamente o distanciamento físico", fez notar. 

No que diz respeito ao setor do turismo com o verão a aproximar-se, Graça Freitas referiu que "já há regras para a restauração, já estamos a trabalhar com o setor hoteleiro e depois teremos as regras para a utilização das praias, quer para turismo interno, quer para externo". 

"É uma normalidade diferente, com regras diferentes. Estamos a trabalhar nesse sentido. Voltar à normalidade possível com o cumprimento de regras em todo o circuito do fluxo de pessoas, quer seja nacional, quer seja internacional", afiançou Graça Freitas.

Regresso do futebol no final de maio

Apesar de este sábado ter sido revelado que três jogadores do Vitória SC testaram positivo para a Covid-19, por agora a intenção do Governo continua a ser que o futebol regresse no final de maio

"Mantém-se como nossa intenção regular a retoma das competições desportivas no final deste mês. Há um conjunto de países com os quais já podemos aprender lições. É o caso da Alemanha, cuja Bundesliga vai regressar já no dia 16. Estamos a aperfeiçoar o nosso pensamento, aprendendo com os outros também", ressalvou Marta Temido. 

Sobre os casos de infeção entre os jogadores vimaranenses, Graça Freitas disse tratar-se de "uma situação complexa". "A complexidade é conciliar o retorno da atividade, neste caso o futebol, com as regras sanitárias e de segurança", concluiu. 

E qual serão as linhas vermelhas para o regresso do desporto-rei em Portugal? Graça Freitas não entrou em pormenores, mas deu a entender que uma delas será um elevado número de casos positivos entre os atletas. 

"Quanto a linhas vermelhas, é difícil defini-las. Obviamente, se os testes que se preconizam, que sejam feitos às equipas, derem um número elevado de pessoas positivas, aí terá de ser equacionado pelas autoridades de saúde de nível local, regional e nacional. É isso que está previsto. Vamos aguardar", afirmou. 

O boletim epidemiológico deste domingo indicou que nas últimas 24 horas foram registados 175 novos casos e mais nove mortes. No total, Portugal contabiliza agora 27.581 casos confirmados e 1.135 vítimas mortais.

[Notícia atualizada às 14h38]

Recorde aqui a conferência:

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório