Meteorologia

  • 06 JUNHO 2020
Tempo
25º
MIN 17º MÁX 25º

Edição

Médica portuguesa revela o que pensou quando viu carros na ponte

“Vale a pena o risco? Não, mesmo. Acreditem. Eu sei”, garante Nina Salvado.

Médica portuguesa revela o que pensou quando viu carros na ponte

Nina Salvado é médica no Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, e no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa. No passado fim de semana, quando viu filas de carros na Ponte 25 de Abril, em plena pandemia da Covid-19, decidiu partilhar com os seus seguidores do Facebook o que pensou nesse momento e o seu relato é, no mínimo, assustador.

“’O que pensaste quando viste os carros na ponte?’ Mulher, 78 anos, problemas de joelho. Entrou com arritmia grave causada por dificuldade respiratória associada ao Covid-19. Foi entubada. Fez paragem cardiorrespiratória. Reanimou-se. Está a lutar pela vida”, começou por contar.

Mas à memória de Nina veio ainda mais casos que apanhou durante a luta contra o novo coronavírus em Portugal. “Homem, 53 anos, hipertenso. Sem mais doenças. Doente que vi e que morreu com Covid-19 já depois de ser entubado. Homem, 80 anos, dependente fisicamente, mas com a cabeça de um jovem. Debilitado de mais para resistir a uma entubação. Faleceu na sexta, devagarinho”, revelou.

E na publicação de Nina seguem-se outros exemplo devastadores. “Mulher, 75 anos, alguma.s doenças, mas vive sozinha. Entrou com falta de ar. Deixei-a nos intensivos. Não tem teste, mas o RX é muito sugestivo de Covid-19. Não sei se vai sobreviver. Mulher, 61 anos. Internei-a por Covid-19. Precisa de oxigénio, mas ainda se está a aguentar. Liguei à filha para informar que ficou muito calada ao telefone. Disse que estava preocupada com o pai e com o filho e ela própria porque tinham contactado com a mãe. Depois acrescentou timidamente que, no domingo, tinham feito um jantar de família na casa da irmã. A estatística diz que algum deles irá acabar entubado, se forem todos infetados. ‘Já estávamos em isolamento no domingo...’ - disse eu. ‘Pois estávamos...’ respondeu ela. O silêncio que se seguiu adivinhou o pensamento que lhe ia na cabeça: ‘Fiz merda. Avisaram-me e não acreditei’, avaliou a médica.

Perante estes exemplos, a profissional de saúde garante que não vale a pena arriscar estar com a família, com amigos ou dar um passeio ao sol enquanto estamos a viver uma pandemia como a Covid-19.

“O que penso eu? Os dias estão bonitos. Eu sei. Não vejo a família há dias. Eu sei. Tenho saudades dos amigos. Eu sei. Vale a pena o risco? Não, mesmo. Acreditem. Eu sei. Fiquem em casa. Cada um na sua”, acabou por pedir a médica.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório