Meteorologia

  • 30 MAIO 2024
Tempo
25º
MIN 16º MÁX 30º

Coronavírus: É ou não seguro receber encomendas da China?

A Organização Mundial de Saúde (OMS) desfaz a dúvida.

Coronavírus: É ou não seguro receber encomendas da China?
Notícias ao Minuto

06:11 - 12/02/20 por Melissa Lopes

País Coronavírus

O novo coronavírus chinês, que já causou a morte a 1.113 pessoas (de acordo com último balanço), tem suscitado muitas dúvidas e dado origem a alguns mitos. Uma das dúvidas mais frequentes, que por ventura já terá tido, é se é seguro receber encomendas e cartas provenientes da China. 

A Direção-Geral de Saúde (DGS) esclarece, citando a Organização Mundial de Saúde,  que "sim", é seguro receber encomendas vindas da China.

De acordo com a OMS, as análises feitas indicam que não há risco de contágio, uma vez que o novo coronavírus não sobrevive muito tempo em objetos como envelopes ou pacotes. 

A OMS refere também que não há qualquer indicação de que animais de estimação, como cães e gatos, possam ser infetados ou portadores do novo coronavírus. Mas deve lavar-se sempre as mãos após contacto direto com animais domésticos, porque ficará protegido contra outro tipo de doenças ou bactérias. 

Outro dos mitos relacionados com o novo coronavírus prende-se com o consumo de alho e de óleo de sésamo. Não há também prova científica de que o consumo de alho ajude a proteger contra o novo coronavírus, assim como o óleo de sésamo não mata o vírus. 

As atuais vacinas disponíveis no mercado contra a pneumonia não previnem contra o Covid-19 [nova designação oficial]. Este novo vírus precisa de uma nova vacina que ainda não foi desenvolvida, esclarece a OMS

O que pode e deve fazer para evitar o contágio pelo novo coronavírus (e outros), e que está ao seu alcance, é lavar frequentemente as mãos com detergente, sabão ou soluções à base de álcool; ao tossir ou espirrar, fazê-lo não para as mãos, mas para o cotovelo ou para um lenço descartável que deve ser deitado fora de imediato; evitar contacto próximo com quem tem febre ou tosse; evitar contacto direto com animais vivos em mercados de áreas afetadas por surtos; deve ser evitado o consumo de produtos de animais crus, sobretudo carne e ovos;

Em Portugal, caso apresente sintomas de doença respiratória e tenha viajado de uma área afetada pelo novo coronavírus, as autoridades aconselham a que contacte a Saúde 24 (808 24 24 24). Caso se dirija a uma unidade de saúde deve informar de imediato o segurança ou o administrativo.

Portugal continua sem qualquer caso de infeção, depois de seis casos suspeitos que vieram a confirmar-se negativos. Quanto aos 20 portugueses repatriados, cujo período de isolamento está prestes a terminar, mantêm-se  saudáveis. 

Recomendados para si

;
Campo obrigatório