Meteorologia

  • 18 JULHO 2019
Tempo
19º
MIN 18º MÁX 21º

Edição

Tremores de Merkel não são caso único e até Cavaco chamou a atenção

O neurocirurgião Gonçalves Ferreira analisa os possíveis motivos que poderão estar na origem dos episódios de tremores da chanceler alemã, que têm corrido mundo. Recorda o especialista que, por cá, também Cavaco Silva já passou por situações semelhantes.

Tremores de Merkel não são caso único e até Cavaco chamou a atenção

Uma imagem mais frágil - que surpreendeu o mundo - da chanceler Angela Merkel tem dominado a atualidade internacional, não por imperativos políticos, mas por episódios de tremores. Em menos de um mês, a chanceler alemã teve três.

Uma porta-voz do governo alemão assegura que Angela Merkel está bem de saúde e que é capaz de cumprir todas as suas obrigações. Mas, com mais episódios a acontecerem, todos se interrogam: o que estará, afinal, a potenciar estes tremores? Para responder a esta questão, o Notícias ao Minuto esteve à conversa com o neurocirurgião Gonçalves Ferreira.

De acordo com o chefe de Serviço de Neurocirurgia do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, "qualquer pessoa, a partir de uma certa idade, pode ter alguns tremores". E estes "podem não ter importância nenhuma, se estiver em causa o 'tremor essencial'".

Esta é, refira-se, uma das desordens neurológicas mais comuns e que "se acentua em situações de cansaço e de stress, mas que é benigna. Não tem nenhuma evolução especial e não tem causa conhecida, sendo muito variável de pessoa para pessoa".

Por outro lado, em causa poderá estar "uma doença degenerativa do sistema nervoso, tipo doença de Parkinson". Nestes cenários, reforça o cirurgião, "ao longo do tempo surgem outros sintomas como rigidez ou o doente começa a mexer-se mais lentamente".

"Não dispondo de informações clínicas" que permitam fazer um diagnóstico claro, Gonçalves Ferreira acredita, "até por razões estatísticas", que "o mais provável é não ser nada de especial".

Recorde-se que foi no dia 18 de junho que a chanceler alemã foi vista a tremer de forma descontrolada pela primeira vez. Recebeu na altura o presidente ucraniano Volodymir Zelenskiy. Apenas uma semana depois a situação repetiu-se. Aconteceu no dia 27 de junho, novamente durante uma cerimónia pública, desta vez com o presidente alemão Frank-Walter Steinmeier. A terceira, e última vez, ocorreu nesta quarta-feira, quando a chanceler alemã recebeu em Berlim o primeiro-ministro finlandês Antti Rinne.

Por cá, também Cavaco chamou a atenção

O também professor catedrático da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL) recorda, a respeito do tema, algumas situações em que o ex-Presidente da República Cavaco Silva teve episódios semelhantes.

Em julho de 2014, na cerimónia que marcou a trasladação de Sophia de Mello Breyner para o Panteão Nacional, as câmaras registaram o tremor de mãos de Cavaco Silva durante o seu discurso. (conferir aqui minuto 1.08' das imagens da SIC Notícias captadas durante a cerimónia). Mais tarde, em junho de 2015, novas imagens de Cavaco com Obama permitem ver o tremor de mãos (conferir minuto 0.57').

O neurocirurgião Gonçalves Ferreira recorda-se de, na altura, ter questionado o então chefe João Lobo Antunes, neurocirurgião e amigo de Cavaco Silva, sobre o tema. "Disse-me que não havia problema nenhum. Embora nunca se tenha chegado a saber, provavelmente não seria nada de sério porque ele [Cavaco Silva] tem aparecido em diversos meios de comunicação, inclusive em televisão, e não se vê grandes tremores. Se fosse algo sério, mesmo com medicação, já se tinha tornado mais evidente".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório