Meteorologia

  • 20 OUTUBRO 2018
Tempo
19º
MIN 19º MÁX 20º

Edição

Southwest: Passageira sentada ao lado de vítima sugada descreve incidente

Passageira que estava sentada ao lado de Jennifer Riordan, única vítima mortal do voo da Southwest Airlines, descreve cenário de pânico. "Não conseguíamos movê-la de todo… a pressão de ar era demasiada", explicou.

Southwest: Passageira sentada ao lado de vítima sugada descreve incidente

Hollie Mackey era uma das passageiras no voo acidentado da Southwest Airlines que, na passada terça-feira, resultou na morte de uma mulher, parcialmente sugada por uma das janelas do aparelho. A mulher de 42 anos contou à revista People o que aconteceu a Jennifer Riordan, a executiva que acabou por falecer.

Recorde-se que, durante um voo que fazia a viagem entre Nova Iorque e Dallas, um dos motores do avião explodiu e os destroços provocaram danos na fuselagem e danificaram uma janela, pela qual Jennifer Riordan foi parcialmente sugada, tendo morrido em consequência desse acidente.

Mackey indicou que estava sentada no lugar da coxia na mesma fila que Riordan, natural do Novo México e mãe de dois filhos. Quando se deu a explosão e os estilhaços partiram a janela daquela fila, a executiva foi imediatamente sugada, quase na totalidade. Mackey e uma adolescente que estava sentada entre ela e Riordan agarram-na conforme conseguiram.

“Eu agarrei a cintura de Jennifer, pus o meu braço à volta da cintura, e tentei puxá-la para dentro. A miúda tentou fazer o mesmo”, explicou Mackey, uma professora da Universidade de Oklahoma.

“Era um barulho ensurdecedor, não se conseguia ouvir nada. Tentámos gritar por ajuda, tentámos, mas não se conseguia ouvir nada”, acrescentou, fazendo referência ao som do vento a centenas de quilómetros por hora, a milhares de pés de altitude.

Mackey e a jovem, no entanto, não conseguiam trazer a mulher para dentro do aparelho. “Era um sentimento de impotência. Com aquela altitude e a pressão de ar naquele momento, não conseguíamos movê-la de todo… a pressão de ar era demasiada”, indicou, sublinhando que foi o cinto de segurança que impediu que a mulher de 43 anos saísse pela janela na totalidade, uma vez que até ela estava a ser puxada pelo buraco.

“Estavamos a sentir a sucção um bocadinho. Não era forte o suficiente para nos levar pela janela, acredito. Mas não tinha a certeza que não era forte o suficiente para levar a jovem se eu lhe desapertasse o cinto e a tentasse tirar dali”, afirmou.

Mackey explicou que foram dois bombeiros do Texas, que estavam entre os passageiros, que ajudaram a tirar Riordan da janela enquanto o avião descia. A mulher já foi retirada inconsciente e recebeu manobras de reanimação durante cerca de 20 minutos até o avião aterrar.

As autoridades de saúde já indicaram que a causa de morte de Jennifer Riordan foi impacto violento na cabeça, pescoço e torso. A mulher foi a primeira vítima fatal de um acidente de aviação nos EUA com uma companhia norte-americana desde 2009, lembrou a AP.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório