Meteorologia

  • 20 SETEMBRO 2018
Tempo
26º
MIN 24º MÁX 28º

Edição

Ana Julia confessa que matou o pequeno Gabriel Cruz

A confissão foi feita às autoridades, depois de no passado domingo, aquando da sua detenção, Ana Julia ter recusado prestar qualquer declaração. O crime, contou, foi cometido após uma discussão com o menino.

Ana Julia confessa que matou o pequeno Gabriel Cruz
Notícias ao Minuto

14:35 - 13/03/18 por Ana Lemos 

Mundo Espanha

Ana Julia Quezada, namorada do pai de Gabriel e a mulher detida no passado domingo pela presumível autoria da morte do menino, quebrou hoje o silêncio. A informação foi avançada pelos meios de comunicação espanhóis. 

Esteve a ser ouvida pela Guardia Civil, na presença dos seus advogados, e foi perante todos, ao fim de cerca de duas horas de interrogatório, que confessou ter matado o pequeno Gabriel. A confissão foi feita entre soluços, provocados pelo choro, e admitindo que o fez na sequência de uma discussão com o menino e após este tê-la agredido.

Em resposta, relatou, agrediu-o com um machado e Gabriel perdeu a consciência. Assustada, decidiu obstruir-lhe a respiração, tapando-lhe o nariz e a boca. Despiu o menino, deitou fora as roupas e cavou ela própria uma cova onde enterrou, na mesma tarde, o corpo.

Recorde-se que, domingo aquando da detenção e depois de ter sido encontrado o cadáver do menino na mala do seu carro, a mulher recusou-se a prestar qualquer declaração às autoridades.

A advogada Beatriz Gámez esclareceu, entretanto, aos jornalistas que Ana Julia só falou hoje porque foi "a primeira vez que [os investigadores] a confrontaram".

A razão para ter cometido o crime não é avançada, mas já esta semana a imprensa espanhola, citando fontes oficiosas, revelava que Ana Julia estaria a planear regressar à República Dominicana (o seu país de origem) mas Ángel Cruz, pai de Gabriel, com quem mantinha uma relação de meses, não se queria separar do filho. Outros testemunhos, também citados nos media vizinhos, referem que a criança não gostava da madrasta e fazia-o saber aos familiares.

Sabe-se que o pequeno Gabriel, que foi sepultado esta terça-feira, morreu asfixiado e não estrangulado como foi inicialmente avançado. Além disso, revelam hoje fontes judiciais citadas pelo La Vanguardia,  o menino de oito anos tinha um golpe na cabeça, mais concretamente um "traumatismo craneoencefálico", provocado antes da sua morte.

No funeral, ainda antes da confissão de Ana Julia, a mãe da criança fez uma simbólica declaração: "O meu menino ganhou, a bruxa já não existe".

Gabriel Cruz desapareceu a 27 de fevereiro em Las Hortichuelas de Níjar, uma localidade de Almería. O  corpo do menino foi encontrado no passado domingo (dia 11) na bagageira do automóvel de Ana Julia Quezada.

A morte causou comoção em Espanha, em particular em Almería, que decretou três dias de luto, e foi condenada pelo rei Filipe VI.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório