Meteorologia

  • 08 DEZEMBRO 2021
Tempo
14º
MIN 12º MÁX 14º

Edição

Revelada conversa entre Clinton e Blair um dia após morte de Diana

Conversa mostra boa relação entre os dois líderes políticos.

Revelada conversa entre Clinton e Blair um dia após morte de Diana

Uma conversa telefónica entre Bill Clinton e Tony Blair, dias após a morte de Diana revela a preocupação que os dois líderes políticos demonstraram com o desaparecimento da princesa.

O telefonema, que durou cerca de 25 minutos, aconteceu em 1997, altura em que Bill Clinton era ainda presidente dos Estados Unidos da América e Tony Blair primeiro-ministro britânico.

Na chamada, pode ouvir-se o político britânico dizer que o “país está estupefacto” com a morte de Diana e que esta “era muito amada pelas pessoas, o que lhe trouxe muitos problemas dentro da realeza”.

Bill Clinton mostra ainda preocupação com Harry e William. “O rapaz mais velho, o William, é um pouco como ela. Tem os pés bem assentes na terra” dizia Blair, revelando ainda que “da última vez que” falara com Diana esta lhe revelara que se não fosse pelos filhos já se tinha afastado da vida pública.

“Pessoalmente vou sentir saudades dela. É como uma estrela a cair. Ela era uma estrela para eles”, acrescenta.

Bill Clinton questiona ainda as circunstâncias do acidente revelando-se preocupado com a forma frenética com que os paparazzi a perseguiam.

Entre as transcrições estão, ainda, algumas piadas trocadas entre os dois dignitários, incluindo que se deve evitar andar nu na Casa Branca, mas também assuntos sobre a Irlanda do Norte, Kosovo, Médio Oriente, integração europeia, economia ou a morte da princesa Diana em 1997.

As transcrições revelam uma grande cumplicidade entre Bill Clinton e Tony Blair.

O líder do Governo trabalhista britânico (1997-2000) e o chefe de Estado norte-americano (1993-2001) falavam regularmente ao telefone, de forma informal, e as conversas começavam muitas vezes com bastante humor.

Quando Tony Blair visitou Washington em abril de 1999, questionou Bill Clinton se podia dormir na Casa Branca na cama utilizada pelo seu antecessor Winston Churchill.

Bill Clinton respondeu: "Desde que não te exibas todo nu quando fores à casa de banho. Tu és muito jovem e esbelto".

"Envelheci neste difícil trabalho. Bill, isso é o máximo", respondeu Tony Blair.

Em fevereiro de 1999, os dois homens também falaram sobre o comércio internacional de banana, mas a conversa derivou rapidamente.

"Os meus assessores não me deixam falar contigo sem ter uma banana na mão. Estou sentado aqui com uma grande banana, feia e madura", ri Clinton ao telefone.

"Agora Bill, acho que deveríamos falar sobre o Kosovo", interrompe Tony Blair, durante a crise da ex-província sérvia, que acabou por se tornar independente.

Os dois homens também fazem piadas à paixão de Clinton por "camisolas de caxemira escocesa", especialmente para jogar golfe, o que pode "ofender os irlandeses".

"Quando acabar aqui (o mandato), quero ser cidadão honorário do Reino Unido e ter um assento na Escócia, perto de um bom campo de golfe", afirmou o antigo Presidente dos Estados Unidos.

Bill Clinton deixou a Casa Branca em janeiro de 2001 e apoia agora a sua mulher Hillary Clinton na corrida às eleições presidenciais.

Tony Blair deixou Downing Street em junho de 2007 e até 2015 foi emissário do Quarteto para o Médio Oriente, mas sem encontrar uma solução para o conflito israelo-palestiniano.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

;
Campo obrigatório