Meteorologia

  • 15 JULHO 2024
Tempo
18º
MIN 18º MÁX 26º

Milei está de regresso a Espanha (mas não reúne com Sánchez ou Felipe VI)

O Presidente argentino, Javier Milei, regressa a Espanha na sexta-feira para uma visita que está a gerar nova polémica por não incluir encontros com o Governo ou o Rei, mas prever uma condecoração do executivo regional de Madrid.

Milei está de regresso a Espanha (mas não reúne com Sánchez ou Felipe VI)
Notícias ao Minuto

14:01 - 20/06/24 por Lusa

Mundo Argentina

Milei esteve em Madrid no mês passado pela primeira vez desde que tomou posse como Presidente da Argentina, para participar numa convenção do partido de extrema-direita Vox, sem ter pedido audiências com as autoridades de Espanha.

Esaa passagem por Madrid acabou em polémica, por declarações durante a convenção do Vox que o Governo espanhol, liderado pelo socialista Pedro Sánchez, considerou insultuosas e inadmissíveis por serem feitas durante uma visita a Espanha.

A polémica transformou-se em crise diplomática com a retirada da embaixadora de Espanha de Buenos Aires.

Milei chamou corrupta à mulher de Pedro Sánchez em Madrid e nas semanas seguintes dirigiu críticas a ministros e chamou cobarde ao próprio líder do Governo espanhol.

O Presidente argentino e o seu governo têm sublinhado que Milei tem sido também ele insultado por membros do Governo espanhol, que o acusam de negacionismo e autoritarismo ou sugeriram que consome drogas.

Aquando da anterior passagem por Espanha, e já com alguma polémica por Milei não pedir audiências com as autoridades do Estado espanhol, o gabinete do Presidente argentino explicou que se tratava de uma deslocação só para participar na convenção do Vox e estava já prevista uma segunda viagem, a desta semana, para receber um prémio de uma associação, que teria outro tipo de agenda.

Para além da cerimónia de receção do prémio do Instituto Juan de Mariana, a agenda de Milei em Madrid conhecida esta semana só inclui um encontro oficial, com a presidente da Comunidade Autónoma de Madrid (governo regional), Isabel Díaz Ayuso, do Partido Popular (PP, direita).

O Governo espanhol disse desconhecer a agenda de Milei, mas que foi autorizada a aterragem numa base militar e disponibilizado o dispositivo de segurança habitual para um chefe de Estado enquanto permanecer em território espanhol, como já aconteceu na visita anterior.

Quanto ao Rei Felipe VI, o jornal El Pais publicou hoje que o Presidente da Argentina pediu uma audiência ao chefe de Estado, mas segundo a agenda da Casa Real, esse encontro não se realizará.

O jornal confirmou o pedido de audiência com "fontes conhecedoras dessa solicitação" e fontes da Casa Real lembraram ao El Pais que Felipe VI coordena com o Ministério dos Negócios Estrangeiros "as visitas a Espanha" de chefes de Estado e de Governo internacionais, sublinhando ainda que, de acordo com a Constituição, "a política externa é competência exclusiva do Governo".

As declarações de Milei em maio em Madrid foram criticadas por grandes empresas, confederações empresariais e por diversos partidos, incluindo o PP, que chegou a qualificar o discurso do Presidente da Argentina na convenção do Vox como "chocante" e "uma intromissão na política nacional", embora tenha defendido que o Governo e Sánchez estavam a "exagerar muitíssimo" na resposta e a entrar numa "escalada verbal que não conduz a lado nenhum".

Perante a nova visita de Milei e a nova polémica, a direção nacional do PP ainda não se pronunciou.

Já a presidente do governo regional de Madrid disse hoje ser "uma honra" receber e condecorar Milei, "eleito por ampla maioria nas urnas pelo povo".

Isabel Díaz Ayuso, que o Partido Socialista (PSOE) acusa de estar apenas a fazer uma provocação, afirmou ainda não ter culpa de Milei não querer reunir-se com um Governo e um primeiro-ministro que "provocou uma crise diplomática e insulta constantemente".

Milei vai receber a Medalha Internacional da Comunidade de Madrid como reconhecimento dos "vínculos históricos, culturais, linguísticos e económicos" da Argentina com a região, segundo um comunicado do executivo de Ayuso.

Para o Governo espanhol, Ayuso demonstra "profunda deslealdade com as instituições espanholas".

Fontes do executivo reiteraram hoje que "é surpreendente e anómalo que um Presidente estrangeiro não solicite em nenhuma das suas primeiras visitas a Espanha um encontro institucional com o seu homólogo, como fazem todos os Presidentes do mundo, ao mesmo tempo que mantém encontros de caráter privado e com autoridades autonómicas".

O executivo acrescentou que Milei "tem mostrado uma atitude reiterada de procura de confrontação e ofensa" às instituições espanholas e espera que, ao contrário do que aconteceu na visita anterior, esteja desta vez "à altura do povo argentino e respeite as instituições espanholas".

Milei estará na sexta-feira em Madrid antes de seguir, no sábado, para uma visita à Alemanha, onde tem prevista uma "curta visita de trabalho" com o chanceler Olaf Scholz, viajando depois para a República Checa, onde será recebido pelo chefe do Governo, Petr Fiala.

Leia Também: Zelensky agracia Javier Milei com a Ordem da Liberdade. O vídeo

Recomendados para si

;
Campo obrigatório