Meteorologia

  • 19 JULHO 2024
Tempo
20º
MIN 19º MÁX 32º

Descoberto o vinho mais antigo do mundo. É branco e tem 2 mil anos

Em 2009, equipa de investigadores descobriu aquilo que acreditam ser um túmulo familiar. No seu interior, encontraram uma urna com um líquido bastante valioso.

Descoberto o vinho mais antigo do mundo. É branco e tem 2 mil anos
Notícias ao Minuto

10:42 - 18/06/24 por Notícias ao Minuto

Mundo Espanha

Investigadores espanhóis descobriram o vinho mais antigo do mundo. Acredita-se que esteja conservado há dois mil anos.

A descoberta foi feita, em Carmona, coletivo romano, e acredita-se que fará parte de um ritual funerário da época, em que os restos mortais cremados de um homem foram imersos num líquido dentro de uma urna funerária de vidro.

A descoberta foi feita dentro de um recinto, com 3,29 m de comprimento e 1,73 m de largura, que se trataria de um túmulo familiar, e onde estavam várias urnas com os restos mortais de elementos que pertenceriam à mesma família.

Este líquido, que com o tempo adquiriu uma tonalidade avermelhada, escreve a ABC, estará conservado desde o século I d.C. Este foi descoberto por uma equipa do Departamento de Química Orgânica da Universidade de Córdoba, dirigida pelo professor José Rafael Ruiz Arrebola.

A equipa sujeitou o líquido a análises químicas para confirmar, através das suas substâncias, que se estava perante vinho, pese embora as suas características já pudessem estar alteradas, devido ao passar dos anos. A equipa confirmou as suas suspeitas: os polifenóis identificados no líquido arqueológico são aqueles que estão presentes nos vinhos e o perfil mineral do líquido arqueológico é semelhante ao de um vinho, pode ler-se no estudo publicado no Journal of Archaeological Science: Report. Descobriram, ainda, que se trataria de vinho branco.

Antes desta descoberta, este titulo, tinha sido atribuído a uma garrafa de vinho Speyer, descoberta em 1867 e datada do século IV d.C., que se conserva no Museu Histórico de Pfalz, na Alemanha.

Ritual funerário romano

A descoberta da urna com vinho permitiu também confirmar aquelas que eram tradições antigas, bem como a distinção de género na altura. As mulheres estavam proibidas de beber vinho, sendo este hábito considerado 'uma coisa de homens'. Prova disso, é que as urnas encontradas por esta equipa, em 2009, notavam que os homens eram enterrados juntamente com vinho e um anel de ouro. Já as urnas das mulheres, continham joias, perfume e restos de tecidos.

Leia Também: Se vai consumir esta proteína saudável, evite beber vinho à refeição

Recomendados para si

;
Campo obrigatório