Meteorologia

  • 14 JULHO 2024
Tempo
24º
MIN 15º MÁX 26º

Louis Arnaud, cidadão francês detido no Irão desde 2022, foi libertado

"Louis Arnaud está livre. Estará amanhã em França, depois de ter estado preso durante demasiado tempo no Irão", anunciou Emmanuel Macron.

Louis Arnaud, cidadão francês detido no Irão desde 2022, foi libertado
Notícias ao Minuto

22:50 - 12/06/24 por Notícias ao Minuto com Lusa

Mundo França

Louis Arnaud, o cidadão francês detido no Irão desde 2022, foi libertado meses após ter sido condenado por propaganda e atentado contra a segurança do Estado. O anúncio foi feito pelo presidente de França, Emmanuel Macron.

"Louis Arnaud está livre. Estará amanhã em França, depois de ter estado preso durante demasiado tempo no Irão", anunciou Macron na rede social X, agradecendo aos "amigos de Omã e a todos os que trabalharam para conseguir este feliz resultado".

"Esta noite, estou também a pensar em Cécile, Jacques e Olivier. Apelo ao Irão para que os liberte sem demora", acrescentou, referindo-se a três cidadãos franceses que ainda se encontram detidos no Irão.

Fonte diplomática de França adiantou à agência France-Presse (AFP) que "Louis Arnaud deixou a prisão na madrugada de quarta-feira".

"Consultou um médico que determinou que podia viajar de avião. Está atualmente no Omã", acrescentou esta fonte diplomática.

O francês foi detido em setembro de 2022 juntamente com outros europeus acusados de participar de protestos após a morte de Mahsa Amini, uma jovem curda iraniana que morreu durante a detenção pela polícia da moralidade.

Os seus companheiros de viagem foram rapidamente libertados, mas Louis Arnaud permaneceu na prisão antes de ser condenado em novembro a cinco anos de prisão por propaganda e por pôr em perigo a segurança do Estado iraniano.

A sua condenação foi considerada inaceitável por Paris.

Os outros três franceses ainda detidos nas prisões iranianas são o casal Cécile Kohler e Jacques Paris, detido em maio de 2022, bem como um francês chamado Olivier, cujo nome completo não foi divulgado.

"Obviamente, continuaremos os nossos esforços pelos três franceses que permanecem detidos no Irão", garantiu a mesma fonte diplomática.

A libertação de Louis Arnaud é "o resultado do trabalho que as autoridades francesas desenvolveram durante vários meses com as autoridades iranianas, incluindo os contactos do ministro dos Negócios Estrangeiros Stéphane Séjourné com o seu homólogo antes da sua morte".

O Presidente iraniano Ebrahim Raïssi, e o seu ministro dos Negócios Estrangeiros morreram em 19 de maio num acidente de helicóptero.

Outros dois franceses, Benjamin Brière e Bernard Phelan, que também tem nacionalidade irlandesa, foram libertados há pouco mais de um ano, em maio de 2023, por "razões humanitárias". Estes tinham ficado muito frágeis e diminuídos devido a uma greve de fome.

A República Islâmica do Irão detém mais de dez cidadãos ocidentais e é acusada de os utilizar como moeda de troca em negociações entre estados.

Esta libertação ocorreu no momento em que a França e os seus parceiros ocidentais decidiram endurecer o seu tom contra Teerão, que também é acusado de desestabilizar o Médio Oriente.

França e os Estados Unidos "estão determinados a exercer a pressão necessária" sobre o Irão, que lidera "uma estratégia de escalada total", declarou Emmanuel Macron no sábado ao lado do seu homólogo norte-americano Joe Biden.

[Notícia atualizada às 23h27]

Leia Também: Adolescente que matou menina de 5 anos condenado a 20 anos de prisão

Recomendados para si

;
Campo obrigatório