Meteorologia

  • 21 JULHO 2024
Tempo
19º
MIN 17º MÁX 25º

Ucrânia. Biden e Zelensky assinarão acordo de segurança na cimeira do G7

O presidente dos EUA, Joe Biden, e o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, vão assinar um acordo bilateral de segurança na quinta-feira, à margem da cimeira do G7, anunciou hoje a Casa Branca.

Ucrânia. Biden e Zelensky assinarão acordo de segurança na cimeira do G7
Notícias ao Minuto

18:02 - 12/06/24 por Lusa

Mundo Guerra na Ucrânia

O conselheiro de segurança nacional, Jake Sullivan, disse aos repórteres que o acordo não envolverá diretamente as tropas norte-americanas na defesa da Ucrânia contra a invasão russa -- uma linha vermelha traçada por Biden, que teme ser arrastado para um conflito direto entre as potências com armas nucleares.

"No final desta reunião, os dois líderes assinarão um acordo bilateral de segurança, especificando que o nosso apoio continuará por muito tempo no futuro", acrescentou Sullivan.

O acordo prevê o fornecimento de armas e assistência à Ucrânia, semelhante aos acordos assinados por Kiev com outros aliados.

"Qualquer paz duradoura na Ucrânia deve basear-se na sua própria capacidade de se defender", insistiu o conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca.

Kiev já reagiu com satisfação a este anúncio.

"Percorremos um longo caminho na nossa cooperação com os Estados Unidos e toda a equipa fez um excelente trabalho para tornar possível este futuro acordo", comentou Andrii Yermak, chefe do gabinete presidencial ucraniano.

Sullivan classificou este acordo como uma ponte para o momento em que a Ucrânia for convidada a aderir à NATO -- uma prioridade de longo prazo de Zelensky que, seguindo uma exigência dos aliados, exigirá antes o fim da guerra entre a Rússia e a Ucrânia.

A cimeira do G7 deste ano ocorre três anos depois de Biden ter declarado na sua primeira reunião que o seu país estava de regresso como líder global, após as perturbações nas alianças ocidentais que ocorreram quando o republicano Donald Trump estava na Casa Branca.

O Papa Francisco, Zelensky e o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, juntam-se à reunião na região de Puglia, no sul da Itália.

Entretanto, Zelensky chegou hoje à Arábia Saudita, para uma visita não anunciada, quando Riade procura permanecer neutral no conflito entre a Rússia e a Ucrânia.

A Arábia Saudita - o maior exportador mundial de petróleo -- tem trabalhado em estreita colaboração com Moscovo na política petrolífera e tem procurado ser um mediador na guerra.

Nas últimas semanas, Zelensky visitou vários países para angariar apoio e participação para uma cimeira de paz a realizar na Suíça no próximo fim de semana, tendo passado pelas capitais dos aliados na União Europeia, mas também países do Médio Oriente e da Ásia que têm relações mais estreitas com a Rússia.

Leia Também: Ucrânia. Rússia promete responder a últimas sanções dos EUA

Recomendados para si

;
Campo obrigatório