Meteorologia

  • 23 JUNHO 2024
Tempo
17º
MIN 17º MÁX 29º

Ativistas pró-Palestina e pelo clima vandalizam agências do Barclays

Os protestos aconteceram em várias cidades em Inglaterra. Os ativistas afirmam estar a protestar contra as relações comerciais do banco britânico com Israel e o financiamento de indústrias poluentes.

Notícias ao Minuto

15:12 - 11/06/24 por Notícias ao Minuto

Mundo Inglaterra

Cerca de 20 sucursais do Barclays foram vandalizadas por ativistas pró-palestinianos e defensores do clima em várias cidades em Inglaterra, que afirmaram estar a protestar contra as relações comerciais do banco britânico com Israel e o financiamento de indústrias poluentes.

A Palestine Action, um grupo de protesto pró-palestiniano, num comunicado partilhado com a CNN Internacional, revelou que várias janelas foram partidas e foi espalhada tinta vermelha pelas agências, incluindo em Londres, para "exigir que o banco se desfaça do comércio de armas e dos combustíveis fósseis de Israel".

Em Edimburgo, pedras com os nomes dos palestinianos mortos em Gaza foram atiradas contra as janelas de uma agência do Barclays (BCS), segundo o comunicado.

"A frustração com os progressos limitados do Barclays no sentido de pôr termo ao seu financiamento genocida e destruidor do clima ajudou a gerar esta nova vertente radical do ativismo. As ações específicas continuarão até que o Barclays elimine completamente este financiamento do seu modelo de negócio", afirmou a Palestine Action.

Também o Shut the System, um grupo de ativistas ambientais, publicou várias fotografias na X Monday, que mostravam sucursais do Barclays gravemente danificadas. "Shut the System e Palestine Action tomaram medidas diretas radicais em frustração com o progresso insignificante do Barclays em mudar o seu financiamento destruidor do clima e genocida", lê-se na partilha.

Um porta-voz do Barclays esclareceu à CNN que o banco presta "serviços financeiros vitais a empresas públicas norte-americanas, britânicas e europeias que fornecem produtos de defesa à NATO e aos seus aliados", acrescentando que o banco não investe diretamente nessas empresas.

"O setor da defesa é fundamental para a nossa segurança nacional e o governo britânico tem sido claro ao afirmar que o apoio às empresas de defesa é compatível com as considerações (ambientais, sociais e de governação). As decisões sobre a aplicação de embargos de armas a outras nações são da competência dos respectivos governos eleitos", acrescentou o porta-voz.

E continuou, fazendo um alerta: "Embora apoiemos o direito de protestar, pedimos que os ativistas o façam de uma forma que respeite os nossos clientes, colegas e propriedade".

Três homens foram detidos por danos criminais numa sucursal londrina do Barclays na segunda-feira, anunciou a polícia da cidade de Londres.

Veja as imagens na galeria acima.

Leia Também: Polícia chinesa detém suspeito de ataque a quatro professores dos EUA

Recomendados para si

;
Campo obrigatório