Meteorologia

  • 13 JUNHO 2024
Tempo
24º
MIN 14º MÁX 25º

Guterres está "chocado com intensificação" de ataques israelitas em Rafah

O secretário-geral da ONU, António Guterres, disse hoje estar "chocado com a intensificação das atividades militares das forças de defesa israelitas em Rafah e arredores", indicou um dos seus porta-vozes, Farhan Haq.

Guterres está "chocado com intensificação" de ataques israelitas em Rafah
Notícias ao Minuto

19:37 - 14/05/24 por Lusa

Mundo Médio Oriente

"Estes desenvolvimentos comprometem ainda mais o acesso humanitário e agravam uma situação já trágica", acrescentou Farhan Haq, que também denunciou os disparos "indiscriminados" de lança-foguetes do movimento islamita palestiniano Hamas.

Nas mesmas declarações, o porta-voz reiterou os apelos à proteção de toda da população civil da Faixa de Gaza.

Em paralelo, o Governo dos Estados Unidos manifestou preocupação pelo ataque contra um veículo da ONU em Rafah, no sul da Faixa de Gaza, que provocou a morte de um trabalhador estrangeiro que integrava o serviço de segurança e proteção das Nações Unidas (UNDSS). Tratou-se da primeira morte de um funcionário internacional da ONU no território palestiniano desde o início da guerra, a 07 de outubro de 2023.

"Os Estados Unidos estão profundamente preocupados pelo ataque a um veículo das Nações Unidas em Gaza que matou um trabalhador humanitário e feriu outro", disse hoje o porta-voz do Departamento de Estado, Matthew Miller, na rede social X.

A ONU precisou que o veículo foi atingido a caminho do hospital europeu de Rafah.

O porta-voz da ONU em Genebra, Rolando Gomez, afirmou também hoje que António Guterres tinha "apelado a uma investigação completa" deste caso.

"Queremos que os responsáveis sejam responsabilizados. (...). Os trabalhadores humanitários internacionais não são alvos. Estes ataques têm de acabar", disse.

O conflito em curso na Faixa de Gaza foi desencadeado pelo ataque do grupo islamita Hamas em solo israelita de 07 de outubro de 2023, que causou cerca de 1.200 mortos e duas centenas de reféns, segundo as autoridades israelitas.

Desde então, Israel lançou uma ofensiva na Faixa de Gaza que provocou mais de 35.000 mortos, segundo o Hamas, que governa o pequeno enclave palestiniano desde 2007.

A retaliação israelita está a provocar uma grave crise humanitária em Gaza, com mais de 1,1 milhões de pessoas numa "situação de fome catastrófica" que já está a fazer vítimas - "o número mais elevado alguma vez registado" pela ONU em estudos sobre segurança alimentar no mundo.

Rafah, na fronteira com o Egito, é o principal ponto de passagem da ajuda humanitária para Gaza e onde se refugiaram mais de um milhão de deslocados palestinianos oriundos de outras zonas do território.

Apesar dos apelos internacionais, Israel mantém a ação militar em Rafah, onde diz que estão as últimas unidades ativas do grupo extremista palestiniano Hamas.

Leia Também: ONU: Ofensiva de Rafah desloca numa semana 20% da população de Gaza

Recomendados para si

;
Campo obrigatório