Meteorologia

  • 20 MAIO 2024
Tempo
19º
MIN 13º MÁX 21º

Enfermeira britânica que matou sete bebés volta a recorrer de sentença

A mulher, de 34 anos, foi condenada a prisão perpétua depois de ter sido considerada culpada de 13 crimes de homicídio, seis dos quais na forma tentada.

Enfermeira britânica que matou sete bebés volta a recorrer de sentença
Notícias ao Minuto

14:37 - 22/04/24 por Notícias ao Minuto

Mundo Reino Unido

Lucy Letby, a enfermeira britânica condenada pelo homicídio de bebés no hospital Countess of Chester, em Inglaterra, voltou a recorrer da sua sentença. A mulher, de 34 anos, foi condenada a prisão perpétua depois de ter sido considerada culpada de 13 crimes de homicídio, seis dos quais na forma tentada.

De acordo com o jornal britânico The Guardian, Letby pediu autorização para recorrer da condenação pouco tempo após o julgamento - que durou dez meses - terminar, mas foi-lhe recusada autorização por um juiz. 

A enfermeira está agora a pedir a outros juízes que lhe permitam recorrer numa nova audiência no Tribunal de Recurso de Londres, alegando que existem quatro fundamentos para o recurso e que o juiz responsável pelo caso recusou erradamente os pedidos que a sua equipa jurídica fez durante o processo.

A enfermeira foi condenada em setembro de 2023 a prisão perpétua depois de ter matado sete bebés no Reino Unido. A enfermeira alimentava as vítimas à força ou, noutros casos, injetava-lhes insulina ou ar. Muitos dos bebés eram prematuros.

Entre as vítimas de estavam dois irmãos trigémeos, que foram assassinados com menos de 24 horas de intervalo, assim como um recém-nascido com menos de um quilograma e uma menina nascida 10 semanas antes do previsto.

A ex-enfermeira cometeu os crimes entre junho de 2015 e junho de 2016. Contudo, e apesar das suspeitas, a mulher não foi demitida da unidade de saúde, nem denunciada às autoridades. Ao invés, foi suspensa do cargo de enfermeira e passou a desempenhar funções administrativas.

Após anos de investigação, Letby foi detida pela primeira vez, em 2018, tendo sido formalmente acusada em 2020.

Leia Também: Bebé dada como morta 'ressuscita' no funeral, mas morre uma semana depois

Recomendados para si

;
Campo obrigatório