Meteorologia

  • 30 MAIO 2024
Tempo
19º
MIN 16º MÁX 30º

Guterres lamenta impacto "limitado" de promessas israelitas de ajuda a Gaza

O secretário-geral da ONU, António Guterres, considerou hoje "limitado e às vezes nulo" o impacto dos compromissos assumidos por Israel para reforçar ajuda a Gaza, frisando que as operações militares israelitas criaram um "cenário humanitário infernal".

Guterres lamenta impacto "limitado" de promessas israelitas de ajuda a Gaza
Notícias ao Minuto

15:26 - 18/04/24 por Lusa

Mundo ONU

Num debate de nível ministerial do Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU) sobre a situação no Médio Oriente, com foco em Gaza, Guterres fez um balanço dos seis meses e meio de operações militares israelitas no enclave, sublinhando que dois milhões de palestinianos "suportaram a morte, a destruição e a negação de ajuda humanitária vital" e que agora estão a enfrentar a fome.

"Tudo isto aconteceu com severas limitações impostas pelas autoridades israelitas à entrega de ajuda humanitária às pessoas em Gaza, que enfrentam fome generalizada", afirmou.

Guterres reconheceu que Israel assumiu recentemente uma série de compromissos para melhorar a prestação de ajuda, e que "houve alguns exemplos de progressos limitados", mas avaliou que o "progresso aparente numa área é muitas vezes anulado por atrasos e restrições noutras áreas".

"Por exemplo, embora as autoridades israelitas tenham autorizado mais caravanas de ajuda, essas autorizações são frequentemente concedidas quando já é demasiado tarde para fazer entregas e regressar em segurança. O nosso pessoal não pode operar na escuridão, numa zona de guerra repleta de munições não detonadas", reforçou.

Outro exemplo apresentado pelo secretário-geral foi o facto de que, durante a semana de 06 a 12 de abril, Israel negou mais de 40% dos pedidos da ONU para entrega de ajuda humanitária que exigiam a passagem pelos postos de controlo israelitas.

"Portanto, o impacto é limitado e às vezes nulo. As autorizações aumentam, mas continuam a existir obstáculos à ajuda às pessoas que necessitam desesperadamente", acrescentou Guterres.

De acordo com o líder da ONU, é necessário "um salto quântico na ajuda humanitária aos palestinianos em Gaza".

Numa visão mais ampla, Guterres considerou que o Médio Oriente está à beira do "precipício" de um conflito regional generalizado.

"Um erro de cálculo, uma falha de comunicação, poderia levar ao impensável -- um conflito regional em grande escala que seria devastador para todos os envolvidos -- e para o resto do mundo", alertou.

Referindo também a troca de ataques entre Israel e o Irão, o ex-primeiro-ministro português reiterou que "já é tempo de acabar com o ciclo sangrento de retaliação" e defendeu que a forma de retirar a região do precipício e da desescalada no Médio Oriente é avançar com uma ação diplomática abrangente, "a começar por Gaza".

Guterres defendeu também a inversão da "situação explosiva" na Cisjordânia ocupada, onde "mais de 450 palestinianos, incluindo 112 crianças, foram mortos" desde que a guerra entre Israel e o grupo islamita Hamas eclodiu, em 07 de outubro passado - "a maioria morta pelas forças israelitas no decurso das suas operações e em confrontos com palestinianos armados", disse.

"Apelo a Israel, enquanto potência ocupante, para que proteja a população palestiniana da Cisjordânia ocupada contra ataques, violência e intimidação", exortou, salientando que a expansão dos colonatos israelitas poderá "minar a contiguidade de um futuro Estado palestiniano e negar a esperança a uma geração de palestinianos".

[Notícia atualizada às 16h13]

Leia Também: Guterres afirma que "retórica" entre Israel e Irão "também é perigosa"

Recomendados para si

;
Campo obrigatório