Meteorologia

  • 14 ABRIL 2024
Tempo
21º
MIN 18º MÁX 29º

Quatro barcos com ajuda alimentar para Gaza de volta ao Chipre

Quatro barcos com alimentos para aliviar a fome em Gaza regressaram hoje ao Chipre, após terem de suspender a sua missão no seguimento do ataque israelita que, na segunda-feira, matou sete trabalhadores humanitários da World Central Kitchen (WCK).

Quatro barcos com ajuda alimentar para Gaza de volta ao Chipre
Notícias ao Minuto

23:25 - 03/04/24 por Lusa

Mundo Israel/Palestina

O navio Open Arms, da organização não-governamental espanhola com o mesmo nome, já atracou no porto de Larnaca, confirmaram à agência Efe fontes da organização, enquanto os outros três já se encontram em águas territoriais do Chipre, segundo a agência CNA.

"Termina a missão 110, de uma forma que não podíamos imaginar, a mais dolorosa", escreveu a Open Arms numa mensagem na rede social X.

Na mesma nota, a ONG espanhola recorda os sete trabalhadores humanitários e garante que continuará a "levantar a voz por eles, pelas mais de 32.500 pessoas assassinadas em Gaza, pelas centenas de trabalhadores humanitários, pelos hospitais destruídos e por todos os 'casos isolados' que não são acidente, mas sim parte de uma estrutura de morte e destruição".

A frota partiu no sábado para Gaza com quase 400 toneladas de alimentos, na segunda operação de um corredor marítimo de ajuda a Gaza com o qual colaboram a WCK, fundada pelo chef espanhol José Andrés, e a Open Arms.

O dispositivo já tinha conseguido desembarcar 100 toneladas de ajuda quando, na segunda-feira, mísseis lançados pelas forças armadas israelitas atingiram um grupo de veículos onde viajavam colaboradores da WCK, matando sete deles.

O primeiro-ministro de Isreal, Benjamin Netanyahu, garantiu na terça-feira que o exército matou os trabalhadores humanitários "involuntariamente", anunciou uma investigação e disse que este tipo de coisas "acontecem na guerra".

Após o ataque, a WCK anunciou a interrupção imediata de todas as suas operações na região e que em breve tomaria decisões sobre o futuro da sua atividade.

A ONG trabalha em Gaza há quase seis meses, durante os quais afirma ter distribuído 42 milhões de refeições à população de Gaza para aliviar a fome causada pelo bloqueio e pelos ataques israelitas punitivos dos atentados do grupo islamita Hamas, que provocaram mais de 1.100 mortos em 07 de outubro.

Cerca de 32.900 pessoas morrerem nestas ações de retaliação, segundo o ministério da Saúde de Gaza, controlado pelo Hamas.

Tanto a Open Arms como a WCK acusaram Israel de estar a usar a fome como uma arma de guerra.

Leia Também: ONU suspende movimentos noturnos em Gaza por 48 horas após ataque à WCK

Recomendados para si

;
Campo obrigatório