Meteorologia

  • 17 ABRIL 2024
Tempo
20º
MIN 14º MÁX 28º

Berlim desmente que embaixador em Moscovo tenha sido chamado

O Governo alemão negou que o seu embaixador em Moscovo tenha sido convocado ao Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, na sequência da publicação de trocas de impressões confidenciais entre vários oficiais alemães sobre o fornecimento de armas à Ucrânia.

Berlim desmente que embaixador em Moscovo tenha sido chamado
Notícias ao Minuto

12:01 - 04/03/24 por Lusa

Mundo Rússia/Ucrânia

"O nosso embaixador teve uma reunião há muito planeada, hoje de manhã, no Ministério dos Negócios Estrangeiros russo", disse à imprensa o porta-voz do mesmo departamento governamental alemão, Christian Wagner, quando questionado sobre se tinha ou não sido convocado.

Hoje, segundo as agências de notícias russas, o embaixador alemão em Moscovo, Alexander Graf Lambsdorff, foi convocado para se apresentar no ministério dos Negócios Estrangeiros russo, após uma conversa entre oficiais militares alemães sobre a entrega de armas à Ucrânia ter sido divulgada na Rússia.

Lambsdorff acabou por ir ao ministério e, no final, após uma hora de encontro, não fez quaisquer declarações aos jornalistas.

Kremlin reiterou a acusação sobre o "envolvimento direto do Ocidente" na Ucrânia, na sequência da divulgação das trocas de mensagens entre oficiais alemães sobre o fornecimento de armas à Ucrânia.

Uma gravação de áudio de uma reunião por videoconferência de oficiais militares alemães de alto escalão foi divulgada sexta-feira nas redes sociais da Rússia.

Nesse mesmo dia, a emissora estatal russa RT (antiga "Russia Today") acabou por divulgar uma gravação áudio de 30 minutos dos oficias militares alemães.

Nesta conversa, os participantes discutem em particular a hipótese da entrega de mísseis de longo alcance 'Taurus' de fabricação alemã a Kiev.

Também hoje, o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov afirmou que as informações trocadas nas redes sociais, incluindo uma gravação, mostram "mais uma vez o envolvimento direto do Ocidente no conflito na Ucrânia".

"A gravação [registo sonoro] mostra que, no seio do Bundeswehr [Forças Armadas da Alemanha] existem discussões pormenorizadas e concretas sobre planos a levar a cabo contra o território russo", acrescentou.

No sábado, Berlim confirmou que a gravação era autêntica e que havia sido "intercetada".

Neste mesmo dia, o chanceler alemão, Olaf Scholz, anunciou que a Alemanha está a conduzir uma investigação aprofundada sobre uma fuga de informação de oficiais que discutiram assuntos confidenciais relacionados com a guerra na Ucrânia.

"Trata-se de um assunto muito sério e é por isso que está a ser investigado com muito cuidado, muito minuciosamente e muito rapidamente", afirmou Scholz durante uma visita a Roma.

O seu conteúdo é muito embaraçoso para a Alemanha porque Berlim recusa oficialmente entregar mísseis 'Taurus' a Kiev, argumentando um risco de escalada do conflito.

Em Moscovo, domingo, a porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, Maria Zakharova, pediu publicamente à sua homóloga alemã, Annalena Baerbock, uma explicação para o conteúdo do áudio,

Por sua vez, o ministro da Defesa alemão, Boris Pistorius, acusou no domingo o Presidente russo, Vladimir Putin, de tentar "desestabilizar" o país com esta gravação.

Leia Também: Rússia convoca o embaixador alemão em Moscovo

Recomendados para si

;
Campo obrigatório