Meteorologia

  • 18 ABRIL 2024
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 25º

Delegação do Hamas no Cairo para continuar negociações sobre trégua

Uma delegação do Hamas deverá chegar hoje ao Cairo para prosseguir as negociações sobre uma trégua na Faixa de Gaza, disse à AFP uma fonte próxima do movimento islamita palestiniano.

Delegação do Hamas no Cairo para continuar negociações sobre trégua

Shutterstock 

Notícias ao Minuto

15:35 - 02/03/24 por Lusa

Mundo Israel

O Qatar, os Estados Unidos e o Egito estão a tentar obter um acordo entre o Hamas e Israel, que preveja uma trégua de seis semanas e a libertação de reféns em troca de prisioneiros palestinianos detidos por Israel.

O Presidente norte-americano, Joe Biden, tinha inicialmente manifestado a sua "esperança" de que um acordo pudesse ser assinado até segunda-feira, antes de se retratar.

Na sexta-feira, afirmou que "esperava" que o cessar-fogo em Gaza pudesse ser alcançado até ao Ramadão, o mês sagrado muçulmano que começa a 10 ou 11 de março.

"Mas podemos não ser bem-sucedidos", frisou.

A fonte próxima do Hamas, que pediu o anonimato, disse que a delegação do movimento palestiniano iria "encontrar-se com os egípcios que supervisionam as negociações de cessar-fogo, a fim de acompanhar o desenvolvimento das discussões destinadas a travar a ofensiva (israelita) e a guerra e chegar a um acordo sobre a troca de reféns".

No início desta semana, uma fonte próxima do Hamas tinha referido que o movimento islamista estava a oferecer a libertação de um refém por dia, durante 42 dias, em troca de 10 prisioneiros palestinianos por cada refém.

Cerca de 250 pessoas foram raptadas e levadas para Gaza durante o ataque sem precedentes do Hamas contra Israel, em 07 de outubro, que causou a morte de 1.160 pessoas, a maioria civis, segundo uma contagem da AFP baseada em dados oficiais israelitas.

Segundo as autoridades israelitas, 130 reféns continuam detidos em Gaza, 31 dos quais terão morrido, após a libertação de 105 reféns em troca de 240 palestinianos durante uma primeira trégua no final de novembro.

Em represália ao ataque de 07 de outubro, Israel prometeu aniquilar o Hamas e a sua ofensiva militar já matou mais de 30.000 pessoas em Gaza, a grande maioria civis, segundo o Ministério da Saúde, controlado pelo Hamas.

De acordo com a fonte próxima do movimento islamita, o Hamas exige igualmente a retirada das tropas israelitas da Faixa de Gaza, o regresso dos deslocados de Gaza ao norte do território e a entrada de ajuda humanitária para a população ameaçada pela fome, no âmbito das negociações para uma trégua.

Leia Também: Negociações para trégua em Gaza serão retomadas no domingo no Cairo

Recomendados para si

;
Campo obrigatório