Meteorologia

  • 20 ABRIL 2024
Tempo
17º
MIN 15º MÁX 23º

Jornalista de conservador enfrenta acusações por invasão ao Capitólio

Um jornalista de um meio de comunicação conservador do Texas entregou-se esta sexta-feira às autoridades norte-americanas, depois de ter sido acusado de participar no ataque ao Capitólio, em 06 de janeiro de 2021.

Jornalista de conservador enfrenta acusações por invasão ao Capitólio
Notícias ao Minuto

11:31 - 02/03/24 por Lusa

Mundo EUA

Steve Baker, que escreveu artigos sobre o motim de 06 de janeiro de 2021 para o Blaze News, enfrenta quatro acusações por transgressão, incluindo acusações de invasão de propriedade e conduta desordeira.

Baker foi libertado depois de comparecer pela primeira vez no tribunal em Dallas esta sexta-feira, de acordo com o advogado de defesa William Shipley.

Depois do início do ataque, Baker entrou no Capitólio por uma porta partida e juntou-se à multidão, de acordo com o depoimento de um agente do FBI (polícia federal).

Numa outra parte do Capitólio, de acordo com o depoimento divulgado à agência Associated Press (AP) pelo advogado, Baker hostilizou os polícias que o tentavam conter, perguntando repetidamente: "Você vai utilizar isso [arma] contra nós?".

Baker permaneceu dentro do edifício durante aproximadamente 37 minutos, antes de a polícia o conduzir para fora do Capitólio, de acordo com o FBI.

Blaze News faz parte de uma plataforma 'online' que o comentador político conservador Glenn Beck fundou em 2011, após deixar a Fox News. Baker começou a escrever para este meio de comunicação após o ataque de 06 de janeiro.

Antes, trabalhava como jornalista 'freelancer' em 06 de janeiro e mais tarde vendeu vídeos do motim para o The New York Times e a HBO, de acordo com Shipley.

O advogado frisou que todos os jornalistas devem estar preocupados com as acusações contra Baker, explicando que a defesa argumentará que este é um caso de processo seletivo e que Baker foi acusado por ser um escritor conservador.

James Lee Bright, outro advogado de Baker, destacou que é "muito preocupante ver [Baker] acorrentado e a ser arrastado para um tribunal federal por causa destas transgressões".

A declaração do agente do FBI cita várias declarações que Baker fez durante e após o motim.

Depois de deixar o Capitólio, referiu a uma estação de televisão local que estava "muito animado para ver isto a acontecer".

A cobertura de Baker do ataque de 06 de janeiro incluiu o julgamento do fundador do Oath Keepers, Stewart Rhodes, e de quatro associados acusados de conspiração sediciosa por um complô para impedir a transferência pacífica do poder presidencial do republicano Donald Trump para o democrata Joe Biden após as eleições de 2020. Baker cobriu o julgamento numa sala do tribunal reservada para jornalistas.

Nas semanas que antecederam à sua detenção, Baker publicou nas redes sociais que o Departamento de Justiça o informou que seria acusado de crimes relacionados com a invasão do Capitólio.

Mais de 1.300 pessoas foram acusadas de crimes federais relacionados com os distúrbios no Capitólio, incluindo vários que se identificaram como jornalistas.

Mas os procuradores -- e os juízes -- rejeitaram os argumentos dos autoproclamados jornalistas de que a Primeira Emenda protegia a sua conduta em 06 de janeiro.

Em setembro, um juiz condenou o apresentador do Infowars, Owen Shroyer, a dois meses de prisão pelo seu papel no motim.

Shroyer não entrou no Capitólio, mas liderou uma marcha até ao edifício e referiu que participou no comício convocado por Trump como jornalista e que pretendia cobrir o evento para o seu programa Infowars.

Após a acusação declarou-se culpado de entrar ilegalmente numa zona restrita, uma transgressão.

Leia Também: Trump recorre de desqualificação nas primária republicanas de Illinois

Recomendados para si

;
Campo obrigatório