Meteorologia

  • 13 ABRIL 2024
Tempo
27º
MIN 16º MÁX 29º

Vitória enfática para político pró-palestiniano em eleição britânica

O antigo deputado do Partido Trabalhista George Galloway ganhou com uma margem larga a eleição legislativa parcial em Rochdale, no norte de Inglaterra, com uma campanha centrada na defesa dos palestinianos da Faixa de Gaza.

Notícias ao Minuto

09:12 - 01/03/24 por Lusa

Mundo George Galloway

Galloway, líder e fundador do Partido dos Trabalhadores do Reino Unido, recolheu 39,7% dos votos, contra 21,3% do candidato independente David Tully. 

O Partido Conservador ficou em terceiro lugar, com 12% dos votos, enquanto Azhar Ali, o candidato a quem o Partido Trabalhista retirou o apoio durante a campanha, ficou-se por 7,7%. 

O resultado é sobretudo mau para o principal partido da oposição, pois em 2019 o trabalhista Tony Lloyd, cuja morte em janeiro desencadeou esta eleição, garantiu 51,6% dos votos, mais do que os quatro rivais juntos.  

O 'Labour' retirou o apoio a Azhar Ali depois de terem sido publicados pela imprensa comentários que ele fez alegadamente antissemitas, numa altura em que o líder, Keir Starmer, está sob pressão internamente para defender publicamente um cessar fogo na Faixa de Gaza.

George Galloway, de 69 anos, um esquerdista frequentemente descrito como rebelde e a quem são reconhecidos os dons oratórios, fez uma campanha centrada na guerra de Israel contra o Hamas e muito do material de campanha reproduzia a bandeira palestiniana. 

O novo deputado de Rochdale, uma cidade nos subúrbios de Manchester onde um terço da população é muçulmana, reivindicou o resultado como um voto de protesto contra os dois partidos nacionais, sobretudo o Trabalhista. 

Galloway prometeu um "terramoto" em mais circunscrições nas próximas eleições legislativas previstas para o final deste ano. 

"Sim, é verdade que todos os muçulmanos estão profundamente zangados com Keir Starmer e o seu mal denominado Partido Trabalhista, mas seria insensato se não se percebesse que milhões de outros cidadãos do nosso país também estão", avisou.  

Leia Também: Macron condena ataque de Israel contra civis no norte de Gaza

Recomendados para si

;
Campo obrigatório