Meteorologia

  • 13 ABRIL 2024
Tempo
18º
MIN 17º MÁX 29º

Pelo menos 120 jornalistas mortos em 2023

O ano de 2023 fecha com pelo menos 120 jornalistas e profissionais de informação mortos, dois terços dos quais em resultado do conflito na Faixa de Gaza, contabiliza a Federação Internacional de Jornalistas (FIJ).

Pelo menos 120 jornalistas mortos em 2023
Notícias ao Minuto

17:56 - 31/12/23 por Lusa

Mundo Jornalismo

Onze dos 119 assassinados (a que se soma uma morte acidental) são mulheres e 71 por cento ocorreram no Médio Oriente, com claro predomínio de palestinianos (75), a que se somam quatro israelitas, três libaneses e três sírios.

A FIJ tem em curso uma campanha sobre a situação na Faixa de Gaza, que tem como mote "Nenhuma estória vale a vida de um jornalista".

Na região da Ásia Pacífico, foram mortos doze jornalistas: indianos (3), afegãos (2), filipinos (2), bengalis (2), paquistaneses (2) e chineses (1).

Na América, houve registo de assassinatos de jornalistas na Guatemala (3), no México (3), na Colômbia (1), nos Estados Unidos (1), nas Honduras (1) e no Paraguai (1).

Oito profissionais da comunicação foram mortos em sete países do continente africano -- Camarões (2), Lesoto (1), Mali (1), Moçambique (1), Nigéria (1), Somália (1) e Sudão (1) -- e o Ruanda registou uma morte acidental.

A Europa também figura neste mapa, com três jornalistas - um francês, um russo e um ucraniano - mortos na guerra em curso na Ucrânia, e um profissional da comunicação albanês.

"Os dados mortais deste ano mostram quão urgente é um instrumento internacional vinculativo que obrigue os Estados a adotarem mecanismos para proteger a segurança e a independência dos jornalistas", reivindica, em comunicado, o secretário-geral da FIJ, Anthony Bellanger.

A FIJ recorda que divulgou uma primeira lista de baixas no jornalismo a 08 de dezembro, na qual referia 94 jornalistas e profissionais de informação assassinados.

Há "demasiadas situações" em que os jornalistas "são um alvo deliberado para encobrir estórias e limitar o direito do público à informação", denuncia o secretário-geral da FIJ.

Leia Também: Morreu o jornalista John Pilger. 'Aliado' de Assange tinha 84 anos

Recomendados para si

;
Campo obrigatório