Meteorologia

  • 22 ABRIL 2024
Tempo
24º
MIN 14º MÁX 27º

Pelo menos quatro mortos em ataques israelitas na Síria

Dois agentes de segurança sírios e dois combatentes libaneses do Hezbollah foram mortos em ataques noturnos israelitas contra alvos perto de Damasco, declarou hoje o Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH).

Pelo menos quatro mortos em ataques israelitas na Síria
Notícias ao Minuto

10:36 - 11/12/23 por Lusa

Mundo ONG

"Dois combatentes do Hezbollah e dois agentes de segurança sírios" que trabalhavam num dos locais pertencentes ao movimento libanês foram mortos em ataques israelitas realizados no domingo. Três outros combatentes e três civis ficaram feridos, segundo a organização não-governamental (ONG).

Duas instalações do Hezbollah no setor Sayyeda Zeinab, ao sul da capital, e "uma unidade de radar" perto do aeroporto de Damasco foram atingidas pelos ataques, acrescentou o OSDH.

O Hezbollah, um aliado do regime de Damasco, do Irão e do grupo islamita palestiniano Hamas, reivindicou vários ataques contra o norte de Israel, a partir do sul do Líbano, desde que a guerra entre Israel e o Hamas começou em 07 de outubro.

O movimento libanês publicou hoje comunicados de imprensa, em Beirute, anunciando a morte de dois dos seus combatentes, mas não forneceu mais detalhes.

Entretanto, uma fonte próxima do Hezbollah disse à agência de notícias AFP, sob condição de anonimato, que os combatentes foram mortos na Síria.

Anteriormente, a agência de notícias síria Sana relatou ataques do "inimigo israelita" em diferentes áreas dos subúrbios de Damasco, sem especificar os alvos ou relatar vítimas.

Um correspondente da AFP disse ter ouvido fortes explosões nos subúrbios de Damasco.

Questionado pela AFP sobre estes ataques, o exército israelita não quis reagir.

Estes ataques aumentaram desde o início da guerra entre Israel e o Hamas em 07 de outubro, quando o grupo palestiniano entrou em território israelita e matou mais de 1.200 pessoas, fazendo ainda mais de 240 reféns.

No domingo, o exército israelita relatou numerosos disparos do sul do Líbano em direção ao norte de Israel, aos quais respondeu, visando em particular "uma célula terrorista do Hezbollah".

O chefe do exército israelita, Herzi Halevi, visitou no domingo o norte de Israel, na fronteira com o sul do Líbano, região que enfrenta mais hostilidades desde 07 de outubro.

Para regressar à "calma e segurança", Israel deve "causar danos, dissuadir, matar conbatentes do Hezbollah e demonstrar a sua superioridade, o que também pode resultar em ataques ou guerra", disse Halevi.

Três combatentes do Hezbollah e um sírio foram mortos na sexta-feira num ataque com um 'drone' israelita contra um carro no sul da Síria, de acordo com o OSDH.

Leia Também: Síria acusa Israel de lançar mísseis contra arredores de Damasco

Recomendados para si

;
Campo obrigatório