Meteorologia

  • 23 FEVEREIRO 2024
Tempo
11º
MIN 10º MÁX 14º

Brasileira muda-se para a Coreia do Sul por amor e acaba a viver pesadelo

Mulher diz ter sido enganada e que casamento perfeito se transformou em apenas duas semanas.

Brasileira muda-se para a Coreia do Sul por amor e acaba a viver pesadelo
Notícias ao Minuto

16:43 - 05/12/23 por Notícias ao Minuto

Mundo Violência doméstica

Jackeliny Bastos, de 34 anos, regressa ao Brasil esta segunda-feira depois de vivenciar uma verdadeira novela. Uma história de amor que levou a brasileira a mudar-se para a Coreia do Sul terminou recentemente em terror e a mulher foi obrigada a pedir ajuda nas redes sociais. 

Natural do Paraná, a mulher apaixonou-se por um homem que conheceu pela internet.  Em outubro deste ano deixou o Brasil para viver ao lado de quem considerava ser "o grande amor da vida".

A vida conjugal era partilhada nas redes sociais com inúmeras cenas de romance, incluindo viagens por praias paradisíacas e surpresas feitas pelo noivo. 

Pouco depois, casada e já na Coreia, a mulher relatou cenas de terror e desespero. Após o casamento, o homem retirou-lhe o telemóvel, e, quando saía, deixava a mãe a vigiar a brasileira. 

Para além disso, deixava-a trancada e sem comida e acabou mesmo por a expulsar de casa.  Sem a presença de familiares e sem falar o idioma do país, a brasileira recorreu às redes sociais para relatar o que vivia.

Em entrevista exclusiva ao Diário do Nordeste, Rubenita Costa Bastos — mãe de Jackeliny — relatou a filha e Jin Yong se casaram cumprindo os trâmites legais das embaixadas de cada país. 

Segundo a mãe da vítima, após conhecer o que se passava com a filha, entrou em contato com a Embaixada do Brasil, que acionou a polícia local. As autoridades foram até a residência do casal e, em seguida, Jackeliny foi levada para um abrigo. 

Após ser resgatada pela Embaixada Brasileira, Jackeliny revelou no Instagram o que viveu com o marido. "Fui enganada. Eu vivia um relacionamento maravilhoso. Tudo era bom, mas ele se transformou em duas semanas. Ele não deixava eu ter acesso ao telemóvel. Eu nem comia, porque tudo era atirado à minha cara que ele comprava. Eu não almoçava, eu não jantava", afirmou. 

Nas redes sociais, a mulher contou que o abrigo para onde foi levada era pequeno e partilhado com outras mulheres vítimas de agressões.

Esta segunda-feira, dia 4, com ajuda de vários casais brasileiros e coreanos, Jackeliny deixa a Coreia do Sul e regressa ao Brasil após ser abandonada pelo marido. O dinheiro da viagem foi angariado por pessoas que se solidarizaram com a sua situação. 

Leia Também: Felgueiras. Homem apanhado em flagrante pela GNR a ameaçar a mulher

Recomendados para si

;
Campo obrigatório