Meteorologia

  • 23 FEVEREIRO 2024
Tempo
11º
MIN 10º MÁX 14º

Antes de morrer, pai revela à filha que é um ladrão em fuga há 50 anos

Casou-se e foi pai sob um nome falso. A família só descobriu a sua verdadeira identidade pouco antes de morrer.

Antes de morrer, pai revela à filha que é um ladrão em fuga há 50 anos
Notícias ao Minuto

15:29 - 04/12/23 por Notícias ao Minuto

Mundo EUA

Thomas Randele estava à beira da morte, vítima de um cancro do pulmão, quando decidiu revelar um segredo que guardava há mais de 50 anos.

Deitado na cama em casa, em março de 2021, num subúrbio de Boston, nos Estados Unidos, Thomas sentiu que não conseguia aguentar mais. Após a sua primeira sessão de quimioterapia, contava com o apoio da sua filha Ashley e foi a ela que fez a confissão: Era um criminoso fugitivo.

Thomas contou que há mais de 50 anos, quando tinha apenas 20, roubara 215 mil dólares de um banco no Ohio. Desde então estava em fuga e tinha mudado de nome. Theodore Conrad era, afinal, o seu nome verdadeiro.

O homem pediu à filha que não tentasse investigar o caso, mas Ashley não conseguiu conter a curiosidade. Assim que pôde, pesquisou o nome do homem no Google e não faltaram informações sobre o crime que cometera e que chegou a ser considerado um dos maiores assaltos em Ohio. De tal forma, que o seu nome constou em programas de televisão como o 'America's Most Wanted' (Mais Procurados da América) ou o 'Unsolved Mysteries' (Casos por Resolver).

Thomas era fã do filme 'O Grande Mestre do Crime', de 1968, que chegou mesmo a inspirá-lo para cometer o assalto. Após o roubo, enviou uma carta à namorada na altura informando-a de que não se voltariam mais a ver e depois disso decidiu alojar-se nos subúrbios, onde poderia passar despercebido. Assumiu um novo nome e ali era simplesmente conhecido por ser vendedor de carros e profissional de golfe.

Ashley contou ao pai que pesquisara o seu passado e que tinham que contar à mãe quem ele realmente era. Uma revelação que deixou a sua mulher igualmente incrédula, mas ambas concordaram em manter o segredo.

Dois meses após a confissão, Thomas Randele acabou por morrer. Mãe e filha fizeram um pacto e decidiram fazer um ano de luto pelo homem que perderam, decidindo notificar a polícia em junho de 2022. As autoridades, porém, anteciparam-se.

Após a sua morte, o seu obituário foi enviado às autoridades por um repórter local, levantando-se de imediato a hipótese de este poder ser o criminoso há muito procurado. A teoria viria a confirmar-se e as autoridades garantiram que as duas mulheres não sofreriam nenhuma acusação.

Entretanto Ashley decidiu juntar-se ao podcast 'Smoke Screen: My Fugitive Dad', onde são relatadas algumas investigações sobre casos parecidos ao dela. 

Leia Também: GNR deteta 73 infrações contra o bem-estar animal em Moura

Recomendados para si

;
Campo obrigatório