Meteorologia

  • 25 FEVEREIRO 2024
Tempo
16º
MIN 13º MÁX 17º

EUA. Homem abatido após matar 4 familiares, incluindo duas crianças

Dois agentes ficaram feridos, assim como uma mulher, de 61 anos. O suspeito acabou por ser alvejado por um dos agentes, e morrer no hospital.

EUA. Homem abatido após matar 4 familiares, incluindo duas crianças
Notícias ao Minuto

15:55 - 03/12/23 por Notícias ao Minuto

Mundo EUA

Cinco pessoas, entre as quais o suspeito, morreram, este domingo, após um esfaqueamento em Queens, Nova Iorque, nos Estados Unidos.

Em conferência de imprensa, citadas pela imprensa internacional, as autoridades explicaram que receberam uma chamada de "uma jovem que dizia que o seu primo estava a matar os familiares". Dirigindo-se à residência, por volta das 5h locais, 10h em Portugal continental, dois agentes viram um homem a sair da casa com malas, e abordaram-no.

O homem acabou por esfaquear um agente nas zonas do pescoço e do peito e um outro na cabeça.

Um destes agentes conseguiu ainda alvejar o suspeito, que foi transportado para o hospital e acabou por morrer. Já os agentes foram transportados para o hospital e espera-se que recuperem.

A situação gerou um reforço policial e, quando mais agentes chegaram ao local, encontraram uma criança ferida em frente à casa. A menina, de 11 anos, ainda foi transportada para o hospital, mas acabou por morrer devido à gravidade dos ferimentos.

Um sofá no interior da casa foi incendiado e só depois de os bombeiros chegarem ao local é que foram encontrados no interior da casa as restantes vítimas mortais - um rapaz, de 12 anos, uma mulher, de 44 anos, e um homem, que teria cerca de 30 anos.

Uma mulher, de 61 anos, foi transportada para o hospital com vários ferimentos causados por uma faca.

As autoridades explicam ainda que o suspeito tinha 39 anos, e já tinha sido detido pelo crime de violência doméstica. Segundo os responsáveis, este visitava a sua família em Queens quando aconteceu o ataque. Uma investigação está agora a ser levada a cabo, com a pessoa que fez a chamada inicial - e não foi identificada - a ser interrogada.

[Notícia atualizada às 16h48]

Leia Também: França "de luto" e contra "terrorismo". As reações ao ataque em Paris

Recomendados para si

;
Campo obrigatório