Meteorologia

  • 27 FEVEREIRO 2024
Tempo
MIN 9º MÁX 14º

Grécia continuará negociação para devolução de partes do Partenon ao país

A Grécia afirmou hoje que prossegue negociações com o Museu Britânico sobre a devolução dos mármores do Partenon ao país, após o primeiro-ministro britânico ter cancelado uma reunião com o seu homólogo grego para evitar discutir o assunto.

Grécia continuará negociação para devolução de partes do Partenon ao país
Notícias ao Minuto

21:10 - 28/11/23 por Lusa

Mundo Grécia

O Governo de Londres afirmou que a questão da propriedade dos mármores está "resolvida" e que pertencem aos britânicos.

Os dois aliados europeus trocaram hoje acusações, numa discussão diplomática cada vez mais intensa, que piorou quando o primeiro-ministro britânico, Rishi Sunak, cancelou uma reunião com o primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis horas antes da sua realização.

O primeiro-ministro grego tinha planeado levantar a questão da devolução dos vestígios arqueológicos à Grécia quando se encontrasse hoje com Sunak na sua residência oficial, em Downing Street.

Após o cancelamento da reunião, Mitsotakis teve a oportunidade de se reunir com o ex-primeiro-ministro Oliver Dowden, mas recusou.

As autoridades britânicas mostraram-se incomodadas com as afirmações de Mitsotakis numa entrevista à BBC, que criticou a permanência dos vestígios arqueológicos em Londres.

"Manter os vestígios arqueológicos em Londres é como se a Mona Lisa fosse cortada ao meio, permanecendo uma parte no Louvre [em Paris] e outra no Museu Britânico", afirmou.

O porta-voz de Sunak, Max Blain, criticou Mitsotakis por não cumprir a promessa de não falar publicamente sobre os mármores durante a sua visita de três dias ao Reino Unido, promessa essa negada pela Grécia.

"O Governo grego garantiu que não utilizaria a visita como instrumento público para discutir questões relacionadas com a propriedade das esculturas do Pártenon, já há muito resolvidas", afirmou Blain.

"Dado que essas garantias não foram cumpridas, o primeiro-ministro considerou que não seria produtivo realizar a reunião", acrescentou.

Mitsotakis reuniu-se na segunda-feira em Londres com o líder do Partido Trabalhista da oposição britânica, Keir Starmer, cujo partido lidera os conservadores do governo de Sunak nas sondagens de opinião. O gabinete do primeiro-ministro negou que esse encontro tenha contribuído para a decisão de Sunak de cancelar a reunião.

Os partidos da oposição gregos, desde o Partido Comunista Grego e os centristas até aos nacionalistas de extrema-direita, também condenaram Sunak pelo cancelamento da reunião.

O líder da oposição de esquerda, Stefanos Kasselakis, afirmou que a questão das esculturas vai "para além das diferenças partidárias".

"É uma questão nacional que diz respeito à história de todo um povo e é uma questão moral que diz respeito ao roubo de riqueza cultural do seu ambiente natural", escreveu no X, anteriormente conhecido como Twitter.

Há muito que Atenas exige a devolução das esculturas que foram retiradas da Grécia pelo diplomata britânico Lord Elgin no início do século XIX.

Parte dos frisos que decoravam o templo do Partenon estão expostos no Museu Britânico, em Londres, há mais de dois séculos. Os restantes frisos encontram-se num museu em Atenas.

O Museu Britânico está proibido por lei de devolver as esculturas à Grécia, mas os seus dirigentes têm mantido negociações com funcionários gregos sobre um compromisso, como um empréstimo a longo prazo.

O porta-voz de Sunak afirmou que "um empréstimo não pode acontecer sem que os gregos aceitem que o Museu Britânico é o proprietário legal" das antiguidades.

O diretor da comunicação do Governo grego, Dimitris Tsiodras, afirmou na terça-feira que "estão em curso discussões com o Museu Britânico para o regresso dos mármores a Atenas".

Leia Também: Sunak vai recusar devolver à Grécia mármores do Partenon

Recomendados para si

;
Campo obrigatório