Meteorologia

  • 21 JULHO 2024
Tempo
23º
MIN 17º MÁX 25º

Projetos em Gaza no valor de 75 milhões inviáveis por causa da guerra

A Comissão Europeia identificou um conjunto de projetos de apoio humanitário à população palestiniana na Faixa de Gaza, no valor de 75,6 milhões de euros, que deixaram de ser viáveis, pelo que têm de ser reprogramados.

Projetos em Gaza no valor de 75 milhões inviáveis por causa da guerra
Notícias ao Minuto

18:57 - 21/11/23 por Lusa

Mundo Israel/Palestina

De acordo com um comunicado divulgado hoje sobre a revisão ao apoio prestado pela União Europeia (UE) à população em Gaza, a Comissão identificou "uma lista de projetos que já não são viáveis com um total de 75,6 milhões de euros, que terão de ser reprogramados em apoio para os palestinianos à luz de novas prioridades que serão identificadas no terreno".

Bruxelas elaborou que identificou "grandes projetos de infraestruturas, gás para Gaza, a central de dessalinização de Gaza e acesso a serviços de água", cuja implementação é impossível "no contexto atual" de conflito aberto entre o Israel e o movimento islamita Hamas.

A viabilidade destes projetos foi colocada em causa numa altura em que a resposta de Israel ao ataque do movimento islamita, na Faixa de Gaza, está a assolar o território e já provocou mais de 14.000 mortos, a maioria civis, de acordo com as autoridades de Gaza, controladas pelo Hamas.

A UE, de onde provém a maior parte da ajuda humanitária para os palestinianos na Faixa de Gaza, anunciou dois dias depois do ataque do Hamas ao território israelita que ia fazer uma revisão do apoio prestado até hoje para garantir que as verbas europeias não estavam a ser desviadas e canalizadas para o financiamento do grupo islamita.

Contudo, o anúncio desta revisão esteve envolto em polémica.

No dia 09 de outubro, os porta-vozes da Comissão Europeia rejeitaram a suspensão do apoio à população palestiniana na sequência do ataque do Hamas.

Mas ao início da tarde desse dia, o comissário para Política de Vizinhança e Alargamento, Olivér Várhelyi, anunciou a suspensão de todo o apoio até estar concluída a revisão. Na altura, os porta-vozes da Comissão anunciaram que a informação prestada por Várhelyi estava correta.

Duas horas depois, o comissário para a Ajuda Humanitária e Gestão de Crises, Janez Lenarcic, contradisse o colega de executivo e anunciou que a revisão avançaria sem prejuízo do apoio prestado pela UE, alegando que em primeiro lugar tinha de estar a "ajuda humanitária aos palestinianos mais necessitados".

O serviço de porta-vozes da Comissão confirmou esta informação já durante a noite de dia 09 de outubro.

Hoje, a Comissão Europeia também concluiu que até à data não houve qualquer desvio de fundos para o Hamas e que as salvaguardas implementadas por Bruxelas estão a funcionar para evitar que o dinheiro europeu financie as atividades consideradas terroristas pela generalidade da comunidade internacional.

Leia Também: Governo do Hamas anuncia novo balanço de mais de 14 mil mortos

Recomendados para si

;
Campo obrigatório