Meteorologia

  • 22 ABRIL 2024
Tempo
21º
MIN 15º MÁX 27º

Bielorrússia. Editor de jornal independente condenado a 4 anos de prisão

A justiça bielorrussa condenou sexta-feira a quatro anos de prisão o editor-chefe de um jornal regional independente, por "desacreditar a República da Bielorrússia", divulgou a associação de jornalistas daquele país.

Bielorrússia. Editor de jornal independente condenado a 4 anos de prisão
Notícias ao Minuto

00:03 - 04/11/23 por Lusa

Mundo Bielorrússia

Um tribunal em Molodechno, cidade no centro da Bielorrússia, também determinou que Aliaksandr Mantsevich, editor-chefe do popular jornal Regionalnaya Gazeta, pague uma multa de 94 mil rublos bielorrussos (cerca de 30 mil euros).

As autoridades acusaram Mantsevich e o seu jornal de utilizarem conteúdos que tinham sido declarados extremistas, um rótulo pouco aplicado nos últimos anos a quaisquer publicações críticas do Governo bielorrusso, noticiou a agência Associated Press (AP).

A Bielorrússia foi abalada por protestos em massa após uma disputada eleição presidencial, em que o Presidente Alexander Lukashenko foi declarado vencedor, para um sexto mandato.

Os protestos duraram meses, na maior e mais prolongada demonstração de dissidência desde que Lukashenko chegou ao poder em 1994 e começou a reprimir os meios de comunicação independentes e a oposição.

Lukashenko adotou medidas duras contra os manifestantes, com a polícia a deter cerca de 35 mil pessoas e a reprimir com violência milhares.

A repressão também teve como alvo jornalistas independentes, grupos de direitos humanos e ativistas, com vários meios de comunicação independentes a serem bloqueados e alguns considerados ilegais como extremistas.

O jornal Regionalnaya Gazeta é publicado em Molodechno desde 1995 e continua a ser uma fonte independente e popular de notícias nas região central e ocidental da Bielorrússia.

Após os protestos de 2020, a sua redação foi alvo de diversas rusgas, durante as quais as autoridades confiscaram alguns dos seus equipamentos.

A edição impressa do jornal deixou de existir em julho de 2021 e em janeiro de 2022 o seu 'site' foi declarado extremista e bloqueado.

Mantsevich, de 65 anos, foi detido em março de 2023 e passou oito meses em prisão preventiva, onde a sua saúde se deteriorou significativamente, informou o grupo de direitos humanos Viasna.

O editor-chefe da publicação manteve a sua inocência e, numa declaração final no tribunal, frisou que estava "orgulhoso do jornal".

"Não sou um sonhador, mas tenho certeza que em algum momento da cidade [de Molodechno] aparecerá uma rua com o nome do nosso jornal, que fortaleceu a autoridade do povo bielorrusso, viveu as preocupações dos nossos leitores e escreveu a verdade", sublinhou.

De acordo com a associação bielorrussa de jornalistas, um total de 33 jornalistas estão atualmente presos naquele país.

A líder da oposição da Bielorrússia no exílio, Sviatlana Tsikhanouskaya, classificou a sentença de Mantsevich como absurda.

"O editor da Regionalnaya Gazeta foi punido apenas por cumprir o seu dever jornalístico", frisou, condenando um "julgamento falso" e exigindo "a sua libertação".

Leia Também: Três músicos condenados a longas penas de prisão na Bieolorrússia

Recomendados para si

;
Campo obrigatório