Meteorologia

  • 02 MARçO 2024
Tempo
13º
MIN 10º MÁX 14º

Ativistas egípcios querem equiparar tortura a "crime contra a humanidade"

Grupos de defesa dos direitos humanos apelaram às Nações Unidas para que reavaliem a situação.

Ativistas egípcios querem equiparar tortura a "crime contra a humanidade"
Notícias ao Minuto

08:32 - 02/10/23 por Notícias ao Minuto

Mundo Egito

Seis grupos de defesa dos direitos humanos no Egito acusaram, esta segunda-feira, o uso da tortura "generalizado e sistemático" por parte das autoridades de ser "um crime contra a humanidade", segundo a France 24.

Os ativistas entregaram um recurso ao comité das Nações Unidas contra a tortura, para que reavaliem a situação no país relativamente ao respeito dos direitos humanos. O documento inclui a análise de diferentes métodos de tortura alegadamente utilizados pelas autoridades egípcias, entre eles "espancamentos, choques elétricos e violência sexual", para além de negar o acesso a cuidados médicos.

"O uso da tortura é tão generalizado e sistemático que equivale a um crime contra a humanidade sob o direito internacional consuetudinário", dizem os ativistas, acusando as autoridades egípcias de usar a tortura "como uma ferramenta política para reduzir a dissidência" e para visar "defensores dos direitos humanos, minorias, jornalistas, académicos e políticos da oposição".

Em novembro, o comité da ONU vai analisar o desempenho do Egito no âmbito da Convenção das Nações Unidas contra a Tortura.

Leia Também: Iraquianos torturados durante a invasão dos EUA não tiveram "compensação"

Recomendados para si

;
Campo obrigatório