Meteorologia

  • 04 MARçO 2024
Tempo
14º
MIN 10º MÁX 17º

Alto oficial dos EUA preocupado com "conluio" entre Rússia e Irão

Um dos principais comandantes da Força Aérea dos Estados Unidos declarou quarta-feira que o fornecimento de 'drones' iranianos aos russos pode levar a Rússia a ajudar o programa nuclear iraniano a tornar-se mais letal.

Alto oficial dos EUA preocupado com "conluio" entre Rússia e Irão
Notícias ao Minuto

08:05 - 21/09/23 por Lusa

Mundo EUA/Rússia

O tenente-general Alexus Grynkewich, chefe da Central da Força Aérea dos EUA, descreveu o perigo potencialmente representado pela "cooperação e conluio" da Rússia com o Irão, nomeadamente quando Moscovo opera sobre o espaço aéreo da Síria e Teerão ameaça navios comerciais nas águas do Golfo Pérsico.

Os pilotos norte-americanos já enfrentaram o que classificam de manobras mais agressivas de pilotos russos na Síria, enquanto um novo destacamento aéreo dos EUA foi enviado para proteger os navios comerciais no estreito de Ormuz, no Golfo Pérsico, através do qual 20% de todo o petróleo do mundo passa.

"Estou preocupado com a crescente relação entre a Rússia e o Irão e com os 'drones' fornecidos à Rússia", disse Grynkewich aos jornalistas durante uma conferência de imprensa na embaixada dos Estados Unidos em Abu Dhabi, nos Emirado Árabes Unidos.

"Quem poderia imaginar que a Federação Russa precisaria ir ao Irão buscar capacidades militares (...). Isso significa que a Rússia deve algo ao Irão. Estou preocupado com o que pode acontecer ao ver este nível de colaboração", afirmou Grynkewich.

Teerão deu explicações conflitantes sobre os 'drones' que a Rússia utilizou para atacar a Ucrânia, negando ter armado Moscovo e, ao mesmo tempo, dizendo que forneceu alguns destes equipamentos antes do início da guerra contra os ucranianos.

As nações ocidentais, a Ucrânia e os especialistas que examinaram os 'drones' dizem que os aparelhos são fornecidos pelo Irão. Afirmam ainda que o número de 'drones' utilizados no campo de batalha demonstra um reabastecimento constante à Rússia por parte de Teerão.

Grynkewich disse estar preocupado que as atualizações russas na tecnologia de 'drones' do Irão possam tornar estes dispositivos transportadores de bombas ainda mais perigosos.

"Pode haver alguma cooperação e conluio entre a Rússia e o Irão que está a acontecer aqui na Síria. Veremos onde isso vai dar. É algo que acompanhamos muito de perto. Este relacionamento crescente, para mim, é uma preocupação militar", acrescentou.

Grynkewich referiu ainda que "centenas" de combatentes do grupo mercenário russo Wagner ainda operam no país, mesmo depois do seu líder Yevgeny Prigozhin ter morrido num misterioso e violento acidente de avião.

Nas últimas semanas, um grande destacamento de marinheiros e fuzileiros navais dos EUA, juntamente com caças F-35, F-16 e outras aeronaves militares, tem estado em curso na região do Golfo Pérsico devido a preocupações sobre o Irão ter como alvo o transporte marítimo.

O Pentágono também está a considerar um plano para colocar tropas norte-americanas a bordo de navios comerciais no Estreito de Ormuz. Grynkewich disse que esta implantação flexível provavelmente permanecerá por algum tempo, apoiada pela extensa rede de bases de que os Estados Unidos desfrutam em toda a região.

Leia Também: Rússia diz que abateu 19 drones ucranianos sobre mar Negro e Crimeia

Recomendados para si

;
Campo obrigatório